Moçambique: Manuel de Araújo passa pasta da edilidade de Quelimane | Moçambique | DW | 21.01.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Manuel de Araújo passa pasta da edilidade de Quelimane

Domingos de Albuquerque foi, esta segunda-feira (21.01), empossado como presidente do município de Quelimane. Apoiado por dezenas de membros da RENAMO, Manuel de Araújo afirmou entregar a pasta de "livre vontade".

Mosambik Unterstützer von Manuel de Araujo in Quelimane (DW/M. Mueia )

Simpatizantes da RENAMO deslocaram-se ao Conselho Municipal para apoiar Manuel de Araújo

Apesar de não concordar com a decisão, Manuel de Araújo passou, esta segunda-feira (21.01), a pasta da edilidade de Quelimane ao presidente da assembleia Municipal Domingos de Albuquerque. A cerimónia de transmissão de poderes foi presidida pelo secretário permanente da província da Zambézia, Júlio Mendes. 

"Este ato decorre do acórdão 86/2018, de 21 de dezembro do Tribunal Administrativo, que não deu provimento ao recurso interposto àquela instância por ter concluído não haver fundamento legal para tal. Importa referir que o presidente do município de Quelimane, que hoje recebe os serviços do Conselho Municipal, deverá assegurar a gestão corrente dos serviços municipais até ao final do presente mandato, que termina a 7 de fevereiro", disse.

Domingos de Albuquerque assume, assim, as funções de edil de Quelimane, a partir desta segunda-feira (21.01), no entanto, por um período de apenas 15 dias.

Ouvir o áudio 02:48
Ao vivo agora
02:48 min

Moçambique: Manuel de Araújo passa pasta da edilidade de Quelimane

Recorde-se que o Conselho de Ministros decretou a perda do cargo de presidente do município de Quelimane por parte de Manuel de Araújo, após o autarca ter decidido concorrer pela Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), principal partido da oposição, a um novo mandato na liderança da cidade, quando ainda cumpria as mesmas funções para às quais concorreu e foi eleito pelo Movimento Democrático de Moçambique (MDM).

Esta segunda-feira (21.01), no juramento de tomada de posse, Domingos de Albuquerque disse que irá exercer a função com muita dedicação. "Juro solenemente respeitar e servir fielmente o município da cidade de Quelimane, dedicar todas as minhas energias aos munícipes, respeitar a Constituição da República e demais leis no cargo que me é atribuído", afirmou.

"Fazer valer a justiça", diz Araújo

Por sua vez, Manuel de Araújo, que disse que estava a entregar a pasta por livre vontade, jurou fazer "valer a justiça".

"Quero agradecer aos munícipes da cidade de Quelimane pelo apoio durante estes sete anos. Agradeço aos vereadores que, desde 2011, estiveram incansavelmente a trabalhar 24 horas e quero desejar ao colega que me substitui interinamente um bom trabalho", disse Manuel de Araújo, acrescentando que "o fundamental é o bem estar dos munícipes. De resto, a justiça será feita brevemente e a história nos absolverá".

Assistir ao vídeo 00:32
Ao vivo agora
00:32 min

Quelimane: Manifestação de apoio a Manuel de Araújo

Rijone Bombino marcou presença na cerimónia como representante da FRELIMO. À DW disse que, com a tomada de posse de Albuquerque, os membros da assembleia já "respiram ar puro". E lembra: "passámos cinco anos de mandato a sermos insultados e injuriados [por Manuel de Araújo] e sem desempenharmos o papel de desenvolvimento da autarquia. O nosso edil só estava preocupado com a sua vida pessoal, razão pela qual hoje está a sair fora", afirmou.

Também presente na cerimónia esteve Listano Evaristo, do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), partido do qual Araújo fazia parte. "Lamentamos, pois 15 dias não é o suficiente para trabalhar. Penso que o governo demorou na tomada de decisão, que já devia ter acontecido no dia 28 de agosto", afirmou.

Antes da cerimónia de tomada posse do novo edil, dezenas de polícias da República de Moçambique cercaram o edifício do Conselho Municipal para evitar tumultos, uma vez que centenas de simpatizantes da RENAMO deslocaram-se ao local para apoiar Manuel de Araújo. No final, transportaram às costas o agora ex-edil da cidade num cortejo que circulou pelas principais ruas de Quelimane.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados