Mau tempo deixa mortos e desalojados em Moçambique | Moçambique | DW | 29.12.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Mau tempo deixa mortos e desalojados em Moçambique

Autoridades prestam assistência à população no centro e norte de Moçambique, as regiões mais afetadas, e alertam para medidas preventivas. Instituto de Meteorologia diz que vai continuar a chover nos próximos dias.

Mais de 20 mil pessoas estão desajoladas devido ao mau tempo (Foto de 2014)

Mais de 20 mil pessoas estão desajoladas devido ao mau tempo (Foto de 2014)

Em Moçambique, oito pessoas morreram e mais de 20 mil estão desalojadas devido às chuvas intensas que assolam as regiões centro e norte do país há pelo menos duas semanas. Cerca de quatro mil casas ficaram destruídas. O Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) já decretou alerta laranja.

Segundo o porta-voz do INGC, Paulo Tomás, os comités de emergência ao nível provincial e distrital já foram ativados para estar em "prontidão, intensificar as ações de monitoria face aos eventos" que ocorreram e aos "que estão eminentes, como foi avançado pelo Moçambique (INAM)". 

Ouvir o áudio 02:30

Mau tempo deixa mortos e desalojados em Moçambique

Ainda de acordo com o porta-voz do INGC, a assistência à população será garantida. Mas ele lembra que a cooperação dos residentes também é importante.

"Apelamos para as medidas preventivas, apelando também aos líderes locais, principalmente aos chefes de posto e de localidades para junto dos comités locais de risco de calamidades exercerem a sua autoridade para o cumprimento das medidas preventivas avançadas pelos órgãos de informação e pelas autoridades", ressalta.

Mau tempo vai continuar

Na província de Sofala, pelo menos 25 mil pessoas estão isoladas nos distritos de Nhamatanda e Gorongosa devido às chuvas que caem desde domingo.

O Instituto Nacional de Meteorologia diz que vai continuar a chover nas próximas 48 horas. Segundo o meteorologista Acácio Tembe, haverá "maior incidência para as províncias da Zambézia, Niassa, Cabo Delgado e Nampula".

O INAM promete continuar a monitorar a evolução dos sistemas tropicais, que poderão afetar também a costa centro e norte de Moçambique.

Para Agostinho Vilanculos, porta-voz da Direção Nacional de Águas, as próximas 72 horas são cruciais. "Se a precipitação persistir na região norte, a bacia de Megaruma poderá atingir o nível de alerta, mas sem grandes impactos", declarou.

O porta-voz faz uma alerta: "Importa referir que a atenção especial vai para a transitabilidade entre Chiúre e Mecúfi [distritos localizados em Cabo Delgado] nas próximas 72 horas".

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados