1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto: Gilberto Fontes

Despedimento de mineiros moçambicanos na África do Sul

Milton Maluleque (Joanesburgo)
4 de março de 2016

Os despedimentos anunciados pelo setor mineiro sul-africano para os próximos meses também deverão afetar moçambicanos. O Governo de Moçambique diz que estão a ser tomadas medidas a pensar na reinserção dos trabalhadores.

https://p.dw.com/p/1I75q

Segundo a Câmara de Minas da África do Sul, nos próximos meses deverão ser eliminados cerca de 32 mil postos de trabalho. Os cortes são justificados pelo facto de perto de 80% das companhias mineiras não estarem a gerar lucros, devido à depreciação do preço da platina e do ouro no mercado internacional.

Na África do Sul há cerca de 39 mil trabalhadores moçambicanos - a maioria trabalha no setor das minas. "Ainda não fomos notificados, nem pela TEBA [companhia que recruta mão-de-obra mineira] nem pela Câmara das Minas, afirma João Almeida, delegado dos Serviços de Administração do Trabalho de Moçambique na África do Sul.

De acordo com a Câmara de Minas, desde 2012 o setor perdeu 47 mil postos de trabalho, situação que afeta milhares de famílias, incluindo de muitos moçambicanos, cuja sobrevivência depende desta atividade.

O ministro sul-africano dos Recursos Minerais, Mosebenzi Zwane, discursando recentemente no Parlamento, defendeu que, no ano passado, o Governo conseguiu assegurar a permanência de cerca de 16 mil mineiros de diversas nacionalidades nos seus postos de trabalho, mas admitiu que o cenário continua a ser desencorajador. "Vão perder-se postos de trabalho na África do Sul. E não é só aqui no país. Mas se for feita uma comparação com os restantes países, notamos que somos os melhores na gestão do processo de despedimentos", defendeu o governante.

Reinserção de trabalhadores

Questionado acerca da existência de um plano de contingência ou de reinserção dos mineiros moçambicanos já despedidos ou que serão despedidos das minas sul-africanas, João de Almeida diz que o Governo de Moçambique está neste momento a fazer é um levantamento dos profissionais que trabalham na África do Sul, sobretudo nas minas.

Südafrika Platinmine
Crise nas minas põe em risco milhares de postos de trabalhoFoto: Imago/Kyodo

A ideia é saber a profissão e as habilitações de cada um, para depois ser criado um banco de dados. "E se houver oportunidades de emprego em Moçambique, iremos solicitando, na medida do possível", explica o delegado dos Serviços de Administração do Trabalho de Moçambique na África do Sul.

Sul-africano expulso por maltratar moçambicanos

Enquanto cresce a incerteza entre os mineiros na África do Sul, a ministra moçambicana do Trabalho e da Segurança Social, Vitória Diogo, mandou retirar o visto de trabalho do sul-africano Johannes de Waal, avançou no início desta semana a Agência de Informação de Moçambique (AIM). Waal, que trabalhava como formador na empresa Capital Outsourcing Group, em Maputo, foi acusado de maus-tratos e atitudes racistas contra trabalhadores moçambicanos.

Segundo a TVM - Televisão de Moçambique, Johannes De Waal reconheceu o seu "comportamento agressivo e injurioso". Porém, os argumentos não atenuaram a decisão tomada pelas autoridades moçambicanas.

[No title]

Saltar a secção Mais sobre este tema
Saltar a secção Conteúdo relacionado