Tragédia em Nampula: Criada uma comissão de inquérito para apurar as causas do incidente | NOTÍCIAS | DW | 12.09.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Tragédia em Nampula: Criada uma comissão de inquérito para apurar as causas do incidente

Enquanto se espera pelos resultados do inquérito, o ministro do Interior, Basílio Monteiro decide suspender o Comandante Provincial da PRM em Nampula, Joaquim Sive. E continuam internados 14 feridos no HCN.

Moises Gueves (DW/S. Lutxeque)

Moisés Gueves - diretor-geral da Inspecção do Comando-geral da PRM

O Ministério do Interior de Moçambique suspendeu o comandante provincial da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula, Joaquim Sive, após o incidente ocorrido ontem (11.09), no estádio 25 de junho, que culminou com a morte de dez pessoas, no final de um Shomício orientado pelo candidato da presidencial da FRELIMO na cidade de Nampula.

Para o efeito, o Governo já criou uma comissão de inquérito para averiguar as causas do incidente, cujos resultados deverão ser apresentados em quinze dias. O Entretanto, a FRELIMO reitera apoio nas cerimonias fúnebres dos perecidos e assistência aos feridos.

Joaquim Sive, nomeado em menos de um ano, já não é comandante da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula. O ministro do Interior, Basílio Monteiro decidiu suspende-lo em menos de 24horas, após o incidente que causou a morte de dez pessoas e dezenas de feridos na sua maioria militantes e simpatizantes da FRELIMO, partido no poder, momentos depois dum Showcomício orientado por Filipe Nyusi, Presidente da República e candidato à reeleição.

Ouvir o áudio 03:06

Tragédia em Nampula: Criada uma comissão de inquérito para apurar as causas do incidente

A suspensão do comandante provincial da PRM de Nampula foi anunciada em conferência de imprensa, nesta quinta-feira (12.09), pelo director-geral da Inspecção do Comando-geral da PRM, Moisés Gueves. Na referida conferência de imprensa não houve espaço para perguntas de jornalistas.

Moisés Gueves disse na ocasião que "face ao incidente ocorrido no dia 11 de setembro de 2019, em que dez membros e simpatizantes do partido FRELIMO perderam a vida a saída do showmicio dessa formação politica, havido no campo 25 de junho na cidade de Nampula, o ministro do Interior, Basílio Monteiro, ordenou a suspensão do senhor Joaquim Sive, (…) das funções de comandante provincial de Nampula'', referiu.

O incidente por esclarecer nos próximos 15 dias

A medida segundo apurou a DW África, de fontes da polícia em Nampula, visa permitir que não haja interferência do mesmo na investigação do caso, num processo, que já está a ser seguido por uma comissão multissetorial, segundo informou Moises Gueves - Inspector-geral do Comando Geral da PRM.

Segundo Gueves a comissão de inquérito ora criada é "composta por comandante da Polícia do ramo da Polícia da Ordem e Segurança, director-geral dos Serviço Nacional de Investigação Criminal, director de pessoal e formação no Comando Geral a PRM, bem como, chefe do departamento jurídico”, disse acrescentando que "a comissão do inquérito tem 15 dias para apresentar um relatório pormenorizado sobre o incidente''.

Solidariedade da FRELIMO

A FRELIMO, através do seu Secretário-Geral, Roque Silva, que visitou os feridos internados assegurou que o seu partido vai continuar a apoiar as vítimas.

Roque Silva (DW/S. Lutxeque)

Roque Silva - Secretário - Geral da FRELIMO

‘‘Nós como direcção do partido continuaremos atentos aos desenvolvimento do estado de saúde desses nossos irmãos que estão aqui hospitalizados, e continuaremos a dar todo apoio para que eles possam se recuperar rapidamente”, indicou Silva.

O dirigente garantiu ainda que "vamos trabalhar, também, no sentido de identificar os familiares dos corpos que ainda não foram identificados e aproximá-las no sentido de darmos o apoio necessário. E queremos assegurar que daremos todo apoio logístico para que esses nossos camaradas que perderam a vida possam ter um funeral condigno'', disse.

O Hospital Central de Nampula, através do seu Director-Geral, Chachimo Molina, informou que neste momento estão internados pelo menos 14 feridos em diferentes enfermarias, garantindo que o estado clínico dos mesmos tende a melhorar progressivamente.

RENAMO e MDM também solidários

Os presidentes dos partidos RENAMO (Resistência Nacional Moçambicana) e MDM (Movimento Democrático de Moçambique), Ossufo Momade e Daviz Simango manifestaram esta quinta-feira (12.09) a sua solidariedade com as famílias das vítimas do incidente desta quarta-feira (11.09).

"Queremos lamentar o sucedido porque tratam-se de nossos irmãos e esperamos que o estado moçambicano cumpra com seu papel de apoiar as famílias neste momento de profunda dor e consternação" disse o candidato da RENAMO para quem a actividade de caça ao voto fica manchada nesta fase, citado pelo jornal OPaís.

Por seu turno, Daviz Simango que se encontra na vizinha província de Cabo Delgado em atividades de campanha eleitoral manifestou a sua solidariedade para com as vítimas e para o partido FRELIMO.

"Endereço condolências às famílias e à população de Nampula pelas mortes. Choramos com eles, estamos tristes com eles”, lamentou Simango sublinhando que " (…) não queremos que haja mortes por causa de campanhas eleitorais”, indicou Simango também citado pelo jornal O País de Moçambique.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados