Manifestantes tomam à força sedes da RENAMO em Sofala | Moçambique | DW | 25.02.2019

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Manifestantes tomam à força sedes da RENAMO em Sofala

Delegados políticos na província de Sofala e na cidade da Beira, eleitos à revelia do partido, foram expulsos. Foi necessária intervenção da polícia para conter os ânimos.

Mosambik Renamo Partei Protest

Membros da RENAMO escorraçam delegado eleito na Beira

Membros da RENAMO em Sofala, província central de Moçambique, ocuparam nesta segunda-feira (25.02.) a sede provincial e a sede da cidade da Beira à força. Eles também escorraçaram os delegados políticos eleitos à revelia do partido há quase duas semanas. A polícia teve que intervir para acalmar os ânimos no seio da confusão instalada.

A ação visava aceder aos gabinetes dos delegados políticos da RENAMO na cidade da Beira e na província de Sofala, que haviam sido ocupados à revelia há mais de uma semana por Luís Chitato, antigo delegado da cidade, e Sandura Ambrósio, delegado da província.

Os dois teriam desafiado as ordens superiores do partido e tomaram o poder à força, alegadamente através duma votação de mais de treze delegados distritais e membros do conselho provincial do partido.

Ao princípio da tarde desta segunda-feira (25.02.), os delegados políticos da cidade da Beira e da província de Sofala, João Marata e Ricardo Gerente, indicados através dum despacho assinado pelo presidente da RENAMO, Ossufo Momade, tomaram à força a sede e escorraçaram o delegado Sandura Ambrósio.

Ouvir o áudio 01:54

Manifestantes tomam à força sedes da RENAMO em Sofala

Eles tiveram apoio de vários membros e simpatizantes do partido liderado pelo chefe de propaganda e mobilização Domingos Gundana.

Um apelo ao líder da RENAMO

Sandura Ambrósio lamentou a atitude dos companheiros que o teriam espancado e obrigado a abandonar as instalações.

O delegado apelou a Ossufo Momade, na qualidade de líder partidário, a reagir o mais rápido possível para resolver a questão.

"Acredito que o presidente deve ter meios para resolver este problema. Nós não temos medo do nosso presidente, mas é triste quando num processo democrático não são respeitados os princípios democráticos", declarou.

Por seu lado, depois de ocupar a sede, Gerente Castelo, o delegado indicado por Ossufo Momade, criticou a atitude por parte de alguns membros da RENAMO.

"Dizer que eles são nossos irmãos, então deveriam ter mais respeito para com o outros. Eles estão aqui convidados para estarem sempre no partido, mas desde que sigam os princípios legais dos nossos estatutos. Não estamos aqui para questões de discriminação como se propala lá fora", afirmou.

Face à confusão gerada com a ocupação à força, a polícia teve de intervir para evitar o pior entre os membros da RENAMO.

Leia mais