Egito: Número de mortos após explosão de bomba sobe para quatro | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 29.12.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Egito: Número de mortos após explosão de bomba sobe para quatro

Uma bomba artesanal atingiu, esta sexta-feira (28.12), um autocarro turístico na zona das pirâmides de Gizé, deixando quatro mortos. Em resposta, autoridades egípcias informaram ter morto já 30 alegados terroristas.

O novo balanço da explosão de uma bomba artesanal que atingiu, esta sexta-feira (28.12), um autocarro turístico, no Egito, foi feito este sábado (29.12) pelas autoridades locais. Segundo as forças de segurança, entre as vítimas mortais estão três vietnamitas, um deles o guia do grupo, e uma pessoa egípcia. Há ainda dez pessoas feridas.

O autocarro turístico transportava um total de 15 turistas vietnamitas, informou o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Vietname. 

Não houve reivindicação imediata deste ataque, o primeiro a atingir turistas desde 2017 no país.

Combate ao terrorismo

Entretanto, e já este sábado (29.12), as forças de segurança do Egito anunciaram ter morto 40 supostos terroristas em operações em vários pontos do país, nomeadamente, na península do Sinai e na província de Gizé, a oeste do Cairo.

Num comunicado enviado à imprensa, o Ministério do Interior explicou que as autoridades agiram depois de terem recebido informações de que "os terroristas estavam a preparar ataques contra instituições do Estado, Polícia e Forças Armadas, para além de terem como alvo outros pontos do setor turístico e lugares de culto cristão".

Ainda na sexta-feira (29.12), Os Estados Unidos reiteraram o seu apoio ao Egito na luta contra o terrorismo. "Apoiamos o Governo egípcio para levar os autores do ataque à Justiça", disse em comunicado um dos porta-vozes da diplomacia americana, Robert Palladino.

Leia mais