CAN 2021: Cabo Verde perde frente ao Senegal | Cabo Verde | DW | 25.01.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

CAN 2021: Cabo Verde perde frente ao Senegal

O Senegal apurou-se para os quartos de final da Taça das Nações Africanas ao vencer Cabo Verde por 2-0. "Tubarões Azuis" jogaram com equipa reduzida a nove após dois cartões vermelhos.

Uma entrada dura de Patrick Andrade, aos 21 minutos, merecedora de cartão vermelho, levou à sua expulsão, depois de o árbitro, que tinha exibido o cartão amarelo, ter sido alertado pelo videoárbitro (VAR) para ver o lance no monitor.

De resto, com exceção de um lance no primeiro minuto, em que Sadio Mané atirou ao poste da baliza de Vozinha, Cabo Verde, mesmo depois de reduzido a 10, controlou o ataque senegalês, que teve apenas mais um lance de perigo protagonizado pela estrela do Liverpool, ao qual o guarda-redes cabo-verdiano pôs cobro.

Embora Edouard Mendy tenha sido um mero espetador na baliza senegalesa até ao intervalo, a exibição da equipa, em termos ofensivos, foi uma deceção, por falta de dinâmica nas ações, muito previsíveis, sem ponta de criatividade, sem velocidade. 

Fußball Africa Cup of Nations | Senegal vs Kap Verde | Tor 1:0

Senegal segue em frente no CAN 2021, para os quartos de final, Cabo Verde fica para trás

Segundo vermelho

Na segunda parte, até à expulsão de Vozinha, aos 57 minutos, o cariz do jogo não se alterou, com o Senegal incapaz de criar oportunidades de golo, mas tudo mudaria a partir do lance impressionante que envolveu o guarda-redes cabo-verdiano e Sadio Mané. O jogador do Liverpool corria isolado e saltou para cabecear a bola quando se deu o choque de cabeças e queda desamparada de ambos, que ficaram muito abalados.

No entanto, o árbitro, mais uma vez alertado pelo VAR, foi ao monitor e expulsou Vozinha, numa decisão suscetível de gerar alguma polémica, uma vez que o contacto de Mané com a bola é simultâneo ao choque de cabeças, além de que havia um defesa de Cabo Verde com hipóteses de dobrar o seu guarda-redes.

Apesar de visivelmente afetado pelo choque de cabeças, Mané permaneceu em campo e acabou por ser determinante, quando, seis minutos depois, inaugurou o marcador, aos 63, com um remate imparável, que levou ainda a bola a bater na parte inferior da barra. Aos 70 minutos, acabou substituído por se ressentir do choque com Vozinha. 

A partir do momento em que ficou a jogar com nove jogadores, os quais foram de uma entrega insuperável, as coisas se tornaram muito complicadas para Cabo Verde, que foi resistindo como pôde e ainda teve força e energia para pregar um susto ao Senegal nos últimos minutos, antes de Bamba Dieng 'selar' a passagem da sua equipa para os 'quartos' com o segundo golo, aos 90+2, quando a equipa cabo-verdiana estava toda balanceada para o ataque na tentativa de forçar o empate e o prolongamento.  

O selecionador Pedro Leitão Brito viu-se forçado a lançar, aquando da expulsão de Vozinha, o guarda-redes do Montalegre, da Liga 3, Márcio Rosa, que ainda evitou dois golos, sacrificando o avançado Garry Rodrigues.

Assistir ao vídeo 03:07

Pedro "Bubista" e o Senegal: "Não tememos ninguém"

Leia mais