Cabo Delgado: Obras de hospital e pontes paralisadas pelo terrorismo são retomadas | NOTÍCIAS | DW | 20.09.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Cabo Delgado: Obras de hospital e pontes paralisadas pelo terrorismo são retomadas

Casa de saúde tinha acabado de ser renovada quando foi destruída pelos insurgentes. Quatro obras em ponte destruídas pelo ciclone Kenneth em 2019 devem ser retomadas depois de serem paralisadas por falta de segurança.

Brücke am Fluß Montepuez, in Cabo Delgado, Mosambik, nach Überschwemmungen

Ponte sobre o rio Montepuez em 2019

O ministro da Saúde de Moçambique anunciou que precisa de 1,7 milhão de euros para a reconstrução no Centro de Saúde de Palma, destruído em março pelos grupos armados em Cabo Delgado.

"É uma infraestrutura que tinha sido reabilitada recentemente e apetrechada com equipamento de ponta, está completamente destruída. É crime", declarou Armindo Tiago, falando durante uma visita para avaliar os danos da ação terrorista em Palma, citado pela Televisão de Moçambique. 

No total, segundo o governante moçambicano, o Ministério da Saúde precisa de 1,7 milhões de euros para a reconstrução de duas novas enfermarias. Embora o bloco operatório tenha sido poupado, a parte do atendimento externo, incluindo a maternidade, foram vandalizadas, estando em curso a elaboração do cronograma para a reabilitação da infraestrutura. 

"Tinha todo o equipamento e está tudo queimado hoje. É uma desolação total", declarou o ministro moçambicano.

Armindo Tiago avançou que o Executivo moçambicano procura meios de transformar o Centro de Saúde de Palma em hospital distrital. Além de Palma, segundo Armindo Tiago, o executivo moçambicano vai reabilitar as unidades de saúde dos distritos de Macomia e Mocímboa, pontos também afetados pela violência armada em Cabo Delgado.

Investida contra área de risco

O ataque a Palma, junto ao projeto de gás em construção, ocorreu em 24 de março, tendo provocado dezenas de mortos e feridos. O distrito acolhe o projeto de exploração de gás natural liderado pela Total, o maior investimento privado em África (na ordem dos 20 mil milhões de euros), entretanto suspenso devido à insegurança na região.

Mosambik Cabo Delago nach Hurrikan Kenneth

Destruição em Cabo Delgado depois do ciclone Kenneth

Quatro pontes metálicas vão ser instaladas até ao final do ano sobre os rios Messalo e Montepuez em estradas de Cabo Delgado, Moçambique, depois de intempéries e ataques armados terem travado obras de recuperação, anunciaram as autoridades.

As pontes vão ser colocadas na estrada nacional 380 (via asfaltada que liga norte ao sul de Cabo Delgado) e nas vias rurais 698 e 762, de ligação a Mueda e Quissanga, respetivamente, anunciou o diretor-geral da Administração Nacional de Estradas (ANE), Américo Dimande, citado por órgãos estatais.

A intervenção faz parte de um conjunto de trabalhos de emergência que decorre ainda na sequência dos estragos provocados pelo ciclone Kenneth em abril de 2019. O agravamento da insurgência armada na região desde àquela altura tem travado diversas operações no terreno.

As pontes metálicas a instalar resultam de um donativo do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) no valor de 810 milhões de meticais (10,8 milhões de euros). Cabo Delgado é uma província rica em gás natural, mas aterrorizada desde 2017 por rebeldes armados, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Assistir ao vídeo 02:04

Cabo Delgado: Deslocados regressam às aldeias de origem

Leia mais