Banco Mundial anuncia apoio de 313,5 milhões de euros a Moçambique | Moçambique | DW | 03.05.2019

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Banco Mundial anuncia apoio de 313,5 milhões de euros a Moçambique

Moçambique irá receber 313,5 milhões de euros que o Banco Mundial acaba de disponibilizar para auxiliar as populações afetadas pelo ciclone Idai.

O Banco Mundial ativou a chamada Janela de Resposta a Crises da Associação Internacional de Desenvolvimento e mobilizou 545 milhões de dólares (313,8 milhões de euros) para responder às necessidades das populações em Moçambique, no Malawi  no Zimbabué, montante que se junta a cerca de 150 milhões de dólares (134,4 milhões de euros) anteriormente libertados de outros projetos. 

A instituição anunciou ainda através de um comunicado divulgado esta sexta-feira  que "está a trabalhar" com Moçambique e as Comores para avaliar as necessidades e a correspondente resposta à situação de emergência causada pela recente passagem do ciclone Kenneth pelos dois países, no passado dia 24 de abril, que afetou, só no norte de Moçambique, cerca de 227.000 pessoas, de acordo com os últimos dados anunciados pelas autoridades do país.

A passagem do ciclone Idai em março "causou estragos catastróficos" que "afetaram milhões de pessoas, e esta tragédia foi ampliada com o ciclone Kenneth", afirmou o presidente do Banco Mundial, David Malpass, que visitou recentemente Moçambique.

Assistir ao vídeo 01:08

Beira: Reabilitação de unidades sanitárias ainda é "desafio" pós-Idai

O Banco Mundial anunciou ainda que está trabalhar "em proximidade" com os seus parceiros para "ajudar a população a recuperar destas tempestades terríveis", assim como no sentido de apoiar os esforços de uma "reconstrução mais forte", e de melhoria da "resiliência destes países" às ameaças naturais.

Resposta às necessidades prioritárias

Os 350 milhões de dólares (313,5 milhões de euros) destinados a Moçambique irão responder prioritariamente a necessidades de reconstrução de infraestruturas públicas, sementeiras, prevenção de doenças, segurança alimentar, proteção social e sistemas de alerta antecipado nas comunidades afetadas, segundo o comunicado. 

O Malawi irá receber 120 milhões de dólares (107,6 milhões de euros) para restabelecer estruturas agrícolas e sementeiras, assim como para reconstruir infraestruturas prioritárias e para apoios sanitários.

A instituição irá finalmente selecionar várias agências das Nações Unidas às quais destinará 75 milhões de dólares (67,2 milhões de euros) para apoios à população deste país e intervenções nas comunidades afetadas. 

O ciclone Idai provocou 603 mortos em Moçambique, 344 no Zimbabué e 56 no Malawi.

Assistir ao vídeo 02:32

Ciclone Kenneth: Primeiro-ministro diz que é preciso mais ajuda

Leia mais