Ossufo Momade alerta para ″conivência de certas autoridades″ em Cabo Delgado | Moçambique | DW | 23.07.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Ossufo Momade alerta para "conivência de certas autoridades" em Cabo Delgado

Líder da RENAMO manifesta preocupação com deslocados em Cabo Delgado, distancia-se das ações da autoproclamada "Junta Militar" e critica condução da crise gerada pela Covid-19 em Moçambique.

Numa comunicação à nação, esta quinta-feira (23.07) em Maputo, o líder da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), Ossufo Momade, manifestou preocupação com o prolongamento e o agravamento da situação militar em Cabo Delgado, assim como com a lentidão na assistência humanitária às populações.

"Somente a conivência de certas autoridades pode explicar a falta de esclarecimento sobre a natureza do conflito e a sua resolução, volvidos mais de dois anos", criticou.

Na quarta-feira (22.07), a Comissão Política da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO, no poder) exortou a população no sentido de permanecer vigilante e colaborar com as autoridades na denúncia da ação dos homens armados, no centro e norte do país.

Mosambik Angriff Unbekannter in Mecombezi

Ataques no centro de Moçambique têm sido atribuídos à autoproclamada "Junta Militar"

As autoridades têm atribuído a autoria dos ataques na província nortenha de Cabo Delgado a grupos de terroristas, e, no centro do país, a dissidentes da RENAMO filiados à autoproclamada "Junta Militar".

O líder do partido da perdiz voltou a distanciar-se da "Junta Militar" e apelou aos seus membros a aderirem ao processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR) dos homens armados da RENAMO.

Este processo foi retomado há 45 dias, tendo sido desmobilizados até aqui 500 antigos guerrilheiros da RENAMO e encerradas duas bases, informou Ossufo Momade. "Registamos, com satisfação, que a implementação do DDR acontece a um ritmo encorajador", afirmou.

"Continuamos expectantes no sentido de que continue de forma célere, condigna e humanizada."

Mosambik Cabo Delgado | Coronavirus

Pandemia da Covid-19 mudou a vida dos moçambicanos

Covid-19: Transparência e prevenção

O líder da RENAMO falou também do impacto da Covid-19 no país, tendo defendido a distribuição de uma cesta básica às populações mais carenciadas e a disponibilização, sem burocracias, de recursos ao setor empresarial.

"As Nações Unidas, a União Europeia e outros parceiros têm estado a disponibilizar recursos que, infelizmente, teimam em não chegar atempadamente aos necessitados, pelo que exigimos que haja maior transparência na gestão dos recursos disponíveis", declarou.

Momade defendeu ainda a regionalização e localização das medidas preventivas e de testagem assim como o aumento do número de testes disponíveis.

"Exigimos ao Governo do dia a instituição imediata de corredores sanitários por forma a limitar o movimento de pessoas de e para as áreas de infeção comunitária, bem como a tomada de medidas preventivas nas províncias vizinhas", disparou ainda o líder da RENAMO.

Ossufo Momade não poupou, igualmente, críticas ao Governo pela recente subida do preço do pão, afirmando que a medida vem sufocar o cidadão tratando-se de um alimento básico das populações de baixa renda.

Assistir ao vídeo 02:11

Secretário-geral da RENAMO diz que DDR está no bom caminho

Leia mais