Insurgência em Moçambique: SADC está a preparar intervenção em Cabo Delgado | Moçambique | DW | 31.08.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Insurgência em Moçambique: SADC está a preparar intervenção em Cabo Delgado

O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, disse que a SADC está a preparar planos para intervir no conflito em Cabo Delgado. E o alegado envolvimento de sul-africanos com a insurgência está também a ser investigado.

Mosambik Anschlag in Naunde

Naunde, Cabo Delgado, depois de um ataque dos insurgentes em agosto de 2018

De acordo com o esatdista sul-africano, Cyril Ramaphosa, "a nível da SADC [Comunidade de Desenvolvimento da África Austral], sim, a questão [da insegurança no norte de Moçambique] está a ser discutida extensivamente com base em 'briefings' do próprio Governo de Moçambique". 

 "O Presidente Nyusi é agora o presidente da nossa região SADC e estamos envolvidos através de várias outras estruturas da SADC para estarmos bem informados e ver até que ponto podem ser montados planos para lidar com o desafio de segurança que enfrentamos lá [em Cabo Delgado]", adiantou.

O chefe de Estado sul-africano, que não especificou o tipo de intervenção da SADC, falava esta segunda-feira (31.08) aos jornalistas no final de uma conferência de imprensa virtual sobre a mais recente vaga de mega corrupção no seio do partido no poder, o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), do qual também é presidente, relacionada com o combate à pandemia da Covid-19.

Origem dos fundos em investigação

Südafrika Präsident Ramaphosa

 Cyril Ramaphosa, Presidente da África do Sul

A polícia sul-africana está a investigar o alegado envolvimento de sul-africanos no conflito armado no norte de Moçambique.  

 "A investigação sobre o envolvimento de sul-africanos na insurgência envolve a Interpol e as autoridades moçambicanas", disse ao portal sul-africano TimesLive o porta-voz da unidade policial de investigação HAWKS (na sigla em inglês).  

Segundo Lloyd Ramovha, "a investigação tem vários ramos, os detetives estão a examinar os fluxos financeiros transfronteiriços, a origem desses fundos e o envolvimento do crime organizado na captação de recursos".

 "Cerca de 100 sul-africanos podem estar a combater ao lado dos terroristas e a atividade do crime dentro de nossas fronteiras [África do Sul] está a ser usada para financiar esses esforços [da insurgência em Cabo Delgado]", escreveu o jornal, citando fonte próxima à investigação policial sul-africana.

Assistir ao vídeo 01:50

Bispo de Pemba: "Papa mostrou proximidade com povo de Cabo Delgado"

Leia mais