Covid-19: Cabo Verde prevê receber até março cerca de 220 mil vacinas da Pfizer | Cabo Verde | DW | 22.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Covid-19: Cabo Verde prevê receber até março cerca de 220 mil vacinas da Pfizer

O ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, avança que o país já tem "as arcas necessárias para a conservação" da vacina.

Cabo Verde prevê receber ainda no primeiro trimestre deste ano cerca de 220 mil doses de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer e imunizar 20% da sua população, anunciou esta sexta-feira (22.01) o ministro da Saúde e da Segurança Social. 

Em declarações na cidade da Praia, à margem da inauguração de obras no Hospital Agostinho Neto, Arlindo do Rosário avançou que as vacinas vão ser adquiridas através da plataforma Covax - promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Aliança para as Vacinas. 

"Muito provavelmente, nesta primeira fase, vamos ter a Pfizer. É uma vacina que traz algum desafio, na medida em que precisa ser conservada a temperaturas negativas, até menos de 70 graus, mas já temos as arcas necessárias para conservação", afirmou o ministro.

Corona-Pandemie | Impfstoff von BioNTech/Pfizer

A vacina da Pfizer & Biontech necessita de uma refrigeração de 70º negativos

12,3 milhões de euros para plano de vacinação

O Governo cabo-verdiano anunciou esta semana que tem 15 milhões de dólares (cerca de 12,3 milhões de euros) garantidos para implementar o plano de vacinação contra a Covid-19, que vai cobrir na primeira fase 95% da população de risco. 

Arlindo do Rosário disse que os valores até agora mobilizados, junto do Banco Mundial e de um programa da sub-região da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), vão servir para adquirir mais vacinas no futuro. 

A vacinação em Cabo Vede vai começar pelos profissionais de saúde e pelas pessoas "com maior risco de ter a forma grave da Covid-19". 

Segundo o Governo, a lista prioritária integra ainda os elementos "que estão na linha da frente", como a Polícia Nacional, a Proteção Civil e as Forças Armadas. Mas também "as pessoas que trabalham no domínio do turismo, no sentido de dar mais segurança aos turistas", setor que garante 25% do Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde.

 

Assistir ao vídeo 01:39

A vacina da BioNTech funciona contra nova variante da Covid-19?

Leia mais