1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Iran Teheran Coronavirus Impfstoff Sputnik-V
Foto: Saeed Kaari/dpa/AP/picture alliance

Covid-19: Angola autoriza compra de vacina russa

Lusa
27 de março de 2021

Governo angolano autorizou aquisição de seis milhões de doses da vacina Sputnik V, produzida na Rússia. País atualizou medidas preventivas. Ensino pré-escolar retoma aulas presenciais a 5 de abril.

https://p.dw.com/p/3rH47

O Governo angolano vai adquirir seis milhões de doses da vacina Sputnik V, produzida na Rússia, por 111 milhões de dólares (o equivalente a 94 milhões de euros), segundo um decreto presidencial publicado no Diário da República.

Segundo o documento, a ministra da Saúde será responsável pela "verificação da legalidade de todos os atos subsequentes no ato de procedimento até à formação e execução do contrato" e a ministra das Finanças "deve assegurar a disponibilização dos recursos financeiros".

Além da Sputnik, Angola recebeu já mais de 600 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford, ao abrigo da iniciativa Covax, estando prevista a entrega de cerca de 2,5 milhões de doses até meados de 2021.  

Na quinta-feira (25.03), Angola recebeu 200 mil doses da vacina Sinopharm, do Instituto Biológico de Pequim, doadas pelo Governo da China e que vão ser distribuídas por algumas províncias do país.

Ensino pré-escolar retoma aulas presenciais

O ensino pré-escolar presencial em Angola vai reabrir a partir de 5 de abril, segundo um decreto presidencial que atualiza as medidas de prevenção e combate à Covid-19, publicado na sexta-feira (26.03) no Diário da República.

Assim, a partir do dia 5 de abril é autorizado o reinício das atividades letivas presenciais no ensino pré-escolar, em todas as instituições de educação e ensino do país, bem como a abertura dos refeitórios para uso exclusivo do ensino pré-escolar. 

A medida abrange os estabelecimentos de ensino públicos e privados do Sistema Nacional de Ensino, as instituições de ensino de Estados Estrangeiros e as Escolas Internacionais que funcionam em território angolano.  

Outras medidas

O diploma introduz também alterações no regime especial de quarentena, que fica dispensada "nas viagens oficiais de curto prazo não superiores a 72 horas". 

Além disso, "o Ministério da Saúde pode definir regime especial de quarentena ou determinar a sua dispensa em casos de viagens de Estado ou por motivos profissionais e empresariais, sempre que a natureza da atividade o justificar por razões de urgência ou de interesse público relevante".

Angola soma 111.231 pessoas imunizadas, desde o início da vacinação no dia 2 de março. 

No total, o país contabiliza 21.965 infeções por Covid-19, dos quais 532 óbitos, 20.250 dados como recuperados e 1.183 ativos (dos quais nove em estado crítico e sete em estado grave).

Cabo Verde: Vacinação contra Covid-19 é "esperança"

Saltar a secção Mais sobre este tema
Saltar a secção Conteúdo relacionado