1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Mosambik Niassa  - Impfkampaqne
Menina é vacinadaFoto: DW/M. David

Chuvas intensas dificultam vacinação no norte de Moçambique

Manuel David (Lichinga)
21 de abril de 2018

Estragos causados pelas chuvas dificultaram a vacinação contra sarampo e rubéola no Niassa. Apensar disso, as autoridades locais da Saúde afirmam que cumpriram o plano de vacinação em 95%.

https://p.dw.com/p/2wS10

Em Moçambique, a província do Niassa acolheu a cerimónia do lançamento da primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo e a rubéola, que envolve também a província da Zambézia.

Com duração de uma semana, no Niassa, a campanha foi caracterizada pelos insucessos nalguns distritos, devido à degradação acentuada das vias de acesso - originada pelas intensas chuvas que se fazem sentir por toda parte na província.

Com a meta de vacinar 84.920 crianças e adolescentes, com idades entre os seis meses e os 14 anos, as autoridades de saúde do Niassa garantem que, apensar das dificuldades, a meta foi alcançada em95% do planificado, avançou o médico chefe-provincial de saúde

"A província olha esta atividade como um sucesso, primeiro pelo facto ter sido possível alcançar aquilo que era a meta. Olhando também aquilo que foi o comportamento da própria campanha, notamos um envolvimento das lideranças comunitárias porque há sítios onde não conseguiríamos ter a adesão prévia da população que esta campanha pretendia e encontramos a população informada sobre o benefício de aderir à campanha," relatou Ramos Mbuane.

Mosambik Niassa  - Impfkampaqne
Material usado na Campanha de Vacinação no NiassaFoto: DW/M. David

Igualmente o sentimento é partilhado por Adérito Cumbane, médico do Hospital Distrital de Mandimba, um dos distritos fronteiriços do Niassa que foi assolado pelas intempéries.

"Embora existirem várias adversidades, estava a chover toda a semana – nós, mesmo assim, conseguimos. E também apesar das muitas dificuldades de transporte, mesmo assim conseguimos ultrapassar," salientou Cumbane.

De olho nas doenças

David Maurício disse estar a se sentir bem, depois de ter levado o seu filho de dois anos de idade e sua irmã para serem vacinados.

"Todos aqueles que tiverem a informação devem se fazer presentes para poder participar nessa campanha, visto que só o facto de participar nessa campanha de vacinação está a garantir a saúde da sua família. É uma oportunidade e seria bom se todos aproveitassem esse momento," disse.

No primeiro trimestre deste ano, as autoridades de saúde no Niassa notificaram seis casos de rubéola nos distritos de Cuamba e Metarica. Nenhum caso de sarampo foi registrado pelas autoridades.

Ramos Mbuane, avançou que o seu setor está a trabalhar para monitorar o sarampo e a rubéola nos distritos.

"E nós, ao nível da província, além de fazermos esta campanha de vacinação, estamos vigilantes naquilo que é a notificação dos casos suspeitos de sarampo," garantiu.

Saltar a secção Mais sobre este tema
Saltar a secção Conteúdo relacionado