Angola: Cinco casos suspeitos do coronavírus | Angola | DW | 14.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: Cinco casos suspeitos do coronavírus

Das 104 pessoas rastreadas em Angola, 99 tiveram resultado negativo para o novo coronavírus. Cabo Verde proíbe realização de grandes eventos. Nenhum país dos PALOP confirmou casos da doença.

O secretário de Estado da Saúde Pública de Angola afirmou este sábado (14.03) que já foram rastreadas 104 pessoas suspeitas de terem a Covid-19. Desses casos, 99 tiveram resultado negativo e outros cinco "estão a ser processados".

"Até esta data, conseguimos rastrear 104 pessoas, sendo que destas 99 tiveram desfecho negativo, sobrando cinco que estamos a processar e vamos ter resultados dentro de 48 horas", disse Franco Mufinda à Radio Nacional de Angola, após uma reunião da comissão técnica multissetorial criada para acompanhar a evolução da doença.

Assistir ao vídeo 02:14

Cabo Verde em alerta por causa do coronavírus, mas sem laboratórios

Franco Mufinda desmentiu que exista atualmente qualquer caso confirmado em Angola, mas reconheceu que há "pressão" crescente junto das fronteiras depois de terem sido confirmados casos na República Democrática do Congo, na fronteira norte e leste, e na Namíbia, a sul.

O secretário angolano adiantou que o país já não tem neste momento a funcionar dois centros de quarentena. Foi mantido apenas o centro de Calumbo, com 57 pessoas (56 chineses e um angolano), enquanto o da Barra do Cuanza "está a ser preparado para receber eventuais casos positivos que se venham a confirmar no país".

Comemoração cancelada

Em Cabo Verde, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, presidente do Movimento para a Democracia (MpD), cancelou o jantar dos 30 anos do partido, que teria lugar este sábado na cidade da Praia, com 350 convidados.

Apesar de sublinhar que Cabo Verde não registou nenhum caso confirmado da Covid-19, o partido justifica a decisão com "a situação de pandemia que está a afetar vários países", "apesar de os riscos sanitários relacionados com a realização do jantar serem ínfimos".

"O presidente do MpD decidiu cancelar o jantar comemorativo como uma medida pedagógica convergente com as orientações de distanciamento social e de inibição de eventos que envolvam grande número de participantes", lê-se na mensagem divulgada pelo partido, assinada pela nova secretária-geral, Filomena Delgado.

Proibição de grandes eventos

A realização de grandes eventos em Cabo Verde com participantes estrangeiros oriundos de países afetados pelo novo coronavírus está proibida até 30 de junho, conforme resolução governamental que entrou em vigor este sábado.

Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde

Ulisses Correia e Silva cancelou a comemoração de 30 anos do MpD

"Fica vedada, até 30 de junho de 2020, a realização de todos os eventos em todo o território nacional que reúnam números elevados de participantes vindos de países assinalados com pandemia de coronavírus (Covid-19)", lê-se na resolução do conselho de ministros cabo-verdiano, publicada esta sexta-feira (13.03) em Boletim Oficial.

Assinada pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, a resolução determina que a "situação da pandemia será avaliada periodicamente", para "decisão sobre a continuidade da medida" ou o seu cancelamento.

Em causa, refere ainda, está uma das recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para "evitar a aglomeração de pessoas no mesmo espaço", por se tratar de uma "epidemia transmissível principalmente por via aérea".

O cancelamento de espetáculos de grande dimensão já tinha sido anunciado pelo Governo como medida prevista no Plano Nacional de Contingência para a prevenção e controlo da pandemia de Covid-19, apresentado esta semana.

Antecipando a entrada em vigor desta medida, o Encontro Internacional da Juventude Africana, que estava previsto de 27 a 29 de março na ilha cabo-verdiana do Sal e que contaria com o patrocínio dos Presidentes de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, e do Senegal, Macky Sall, foi oficialmente cancelado na quinta-feira. Este foi o quinto evento internacional adiado em Cabo Verde por causa do risco de infeção pelo novo coronavírus.

Na Guiné-Bissau, o Governo anunciou medidas de prevenção, incluindo a suspensão de eventos públicos com grande aglomeração de pessoas, além de campeonatos de futebol. 

Leia mais