Um verde que renasce do Furacão Fred | Cabo Verde | DW | 07.09.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Um verde que renasce do Furacão Fred

Autoridades estão a contabilizar os prejuízos do furacão “Fred” que atingiu o arquipélago de Cabo Verde na semana passada. Por outro lado estão cientes que o “Fred” fez renascer as esperanças de um bom ano agrícola.

Manto verde cobre terras áridas na Ilha de Santiago, Cabo Verde

Manto verde cobre terras áridas na Ilha de Santiago, Cabo Verde

O furacão “Fred” não fez vítimas mortais, mas deixou um rasto de destruição. Pelo menos, 60 famílias ficaram desalojadas. O balanço foi feito pelo primeiro-ministro caboverdiano, José Maria Neves.

"Na Ilha do Sal, temos estragos na praia de Santa Maria, destruição do pontão e no aeroporto internacional Amilcar Cabral. Na Boavista também há queda de árvores, alagamento, estragos no aeroporto internacional Aristides Pereira e também problemas de fornecimento de energia elétrica. E a nível de todo o Cabo Verde temos alguns estragos nas estradas e também pessoas com problemas de habitação, tetos que cairam e algumas pessoas que ficaram desabrigadas."

Landwirtschaft auf Cap Verde

A certeza de um bom ano agrícola está agora confirmada

Os 22 municípios do país estão a contabilizar localmente os custos dos estragos provocados pelo furacão para depois o Governo apresentar os números finais que deverão rondar as centenas de milhares de euros.

O outro lado da moeda

Num país muito árido e marcado por uma seca severa, o primeiro ministro vê o lado positivo da passagem do furacão “Fred” por estas ilhas. Ele lembra que "há uma grande mobilização de água, as barragens estão a encher-se, as ribeiras estão cheias, as barragens subterrâneas já estão com muita água, os diques de captação..."

E por isso Neves manifesta a sua satisfação quanto aos resultados agrícolas: "De modo que temos uma grande quantidade de água mobilizada, já há muito pasto e posso dizer que em termos de recursos hídricos e de pasto já temos o ano agrícola garantido. Faltarão as chuvas de setembro para enchermos definitivamente todas as barragens e a partir dai garantir um ano agrícola pleno ao nível de todo o país."

Landwirtschaft auf Cap Verde

Barragem de Favata, Ilha de Santiago

Sete barragens do país acumularam quantidade significativa de água. A de Faveta, no Concelho de São Salvador do Mundo, na ilha de Santiago, já transbordou.

Os primeiros frutos

O coordenador do grupo de seguimento do ano agrícola no ministério do Desenvolvimento Rural, Celestino Tavares, fala da quantidade de precipitações caídas nos últimos dias: "Tivemos precipitações importantes em todas as ilhas do país. Na Ilha de Santo Antão, por exemplo, as precipitações rondaram os 200 milímetros, que é muita precipitação. Na Ilha de Santiago as precipitações rondaram os 160 milímetros, na Ilha da Brava tivemos precipitações mais fracas, mas tivemos na ordem dos 30-40 milímetros."

E os resultados da queda de chuvas já são visíveis, segundo Tavares: " Neste momento nas zonas altas da Ilha de Santiago, do Fogo e da Brava temos a cultura do milho num estágio mais avançado de desenvolvimento, as plantas já têm entre cinco a sete folhas e os feijões estão na fase de ramificação. Nas zonas do litoral das ilhas do sul temos as culturas em fase de germinação."

Ouvir o áudio 02:48

070915 CV Furacão Chuvas - MP3-Mono

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados