Quilombolas: a continuação de uma luta | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 21.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Quilombolas: a continuação de uma luta

Quilombola quer dizer descendente de escravos fugitivos que fundaram comunidades no Brasil. Para esses afro-brasileiros Quilombola significa muito mais. É uma bandeira de luta pela manutenção das terras e muito mais.

A Unesco declarou o dia 23 de Agosto Dia Internacional da Memória da Escravidão e da sua Abolição. Na imagem: moradores do Quilombo do Kalunga em Goiás/Brasil.

A Unesco declarou o dia 23 de Agosto Dia Internacional da Memória da Escravidão e da sua Abolição. Na imagem: moradores do Quilombo do Kalunga em Goiás/Brasil.

O Brasil foi o último país do mundo a abolir a escravidão. Em 1888, a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, dando a liberdade aos escravos arrancados das terras africanas. Mas durante os três séculos de escravidão no país verificaram-se inúmeras revoltas. Por volta de 1580, de acordo com os historiadores, começaram a surgir os primeiros quilombos, vilarejos fundados por escravos, que fugiam das péssimas condições de vida. O quilombo mais famoso foi o de Palmares na Serra da Barriga, em Alagoas, no nordeste do país.
O quilombo liderado por Zumbi foi um símbolo de resistência.

Hoje, os quilombos do século 21 também são sinónimos de luta pelo direito à terra e a melhores condições de vida. Um trabalho de Almeri Cezino.

Áudios e vídeos relacionados