Moçambique: Membros da RENAMO saem às ruas contra Ossufo Momade | Moçambique | DW | 23.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Membros da RENAMO saem às ruas contra Ossufo Momade

Um grupo de membros da RENAMO saiu hoje (23.11) às ruas da cidade de Tete, centro de Moçambique, para exigir o afastamento de Ossufo Momade da liderança do maior partido da oposição. A manifestação acabou em confrontos.

Ossufo Momade é acusado pelos manifestantes, entre outros aspetos, de má gestão e clientelismo dentro do partido Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), a maior força política da oposição em Moçambique. 

Entretanto, o delegado político provincial da RENAMO na província de Tete, Evaristo Tatamo, chamou os mentores destas contestações públicas contra Ossufo Momade de "palhaços”.

Em conferência de imprensa, que marcou o início da manifestação nesta segunda-feira (23), Hernani da Silva, porta-voz do grupo e membro da assembleia municipal de Tete pela RENAMO, acusou o líder do maior partido da oposição de "divisionismo, clientelismo e exclusão ao nível do partido". 

"Resignação voluntária e incondicional"

Mosambik | Protest gegen Ossufo Momade

Membros da RENAMO se manifestam contra Ossufo Momade em Tete

"Estamos convictos de que o caminho mais seguro e rápido para o reforço da união interna do partido RENAMO seria, com todo o respeito à figura do general Ossufo Momade, a [sua] resignação voluntária e incondicional da presidência do partido", disse.

Entretanto, o grupo encabeçado por Hernani da Silva acredita ainda que uma uma possível saída para as crises internas dentro do partido RENAMO, seria a convocação de uma reunião extraordinária do Conselho Nacional do partido para que, segundo ele, "os quadros possam debater [o tema] de forma aberta e franca, para o bem do partido e dos moçambicanos", argumentou.

Os contestatários de Ossufo Momade em Tete denunciam que as crises internas dentro da RENAMO não estão apenas a ter consequências dentro do  partido, mas também para o país. Como exemplo, cita os ataques armados nas províncias de Manica e Sofala – atribuídos à Junta Militar, dissidente da RENAMO.

"Pedíamos que o Conselho de Estado que convocasse o Presidente Ossufo Momade para se explicar sobre o papel que [ele] pensa desempenhar para pôr fim ao conflito político militar na zona centro do país", apelou Hernani da Silva.

Mas, em entrevista à DW África, Evaristo Tatamo, o delegado provincial da RENAMO em Tete, nega divisionismo. Ele defende que o atual líder daquela formação política seja "um presidente legítimo segundo os estatutos do partido".

"São palhaços"

"Se alguns se intitulam membros da RENAMO e contestam a liderança do partido e do presidente Ossufo Momade; para nós, esses são palhaços. E até podemos dizer que [isso] é um produto do nosso adversário, a FRELIMO", disse.

A manifestação desta segunda-feira (23.11) terminou com uma confrontação entre o grupo liderado por Hernani da Silva e o liderado pelo atual delegado político provincial – Evaristo Tatamo.

Questionado, pela DW África sobre as razões da confrontação, Tatamo respondeu: "nós, como RENAMO ao nível provincial, não podemos ficar alegres quando aparece um outro grupo que se diz ser da RENAMO [mas que está] a tirar mérito ao presidente. É por isso que os membros e simpatizantes ficaram furiosos, e tomaram aquelas medidas", argumentou.

Há indicações da existência de feridos em ambas as partes. Hernani da Silva acusou, também nesta segunda-feira (23.11), o delegado político provincial e o chefe nacional da mobilização da RENAMO de ameaças de morte.

Evaristo Tatamo negou as acusações, mas alerta que "se ele continuar a insultar e espalhar o presidente, acredito que os membros não poderão ficar alheios". E acrescentou, "paciência tem limite, não é a nossa vontade, mas o senhor Hernani, que se diz ser membro da RENAMO, deve recuar".

Por sua vez, Hernani da Silva nega que vá recuar, e justifica que este comportamento "mostra estarem no caminho certo". 

Leia mais