1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Ulisses Correia e Silva
Ulisses Correia e SilvaFoto: Gabinete de Comunicação e Imagem da Presidência da República

Cabo Verde: Governo faz balanço positivo do Estado da Nação

28 de julho de 2017

O Parlamento cabo-verdiano debateu, esta sexta-feira (28.07), o Estado da Nação. O partido no poder e a oposição voltaram a ter leituras díspares sobre a situação política, económica e social de Cabo Verde.

https://p.dw.com/p/2hKom

Foram cinco horas de debate em que a oposição pintou o país de preto e a situação de branco a roçar a rosa. Afirmando que  o "balanço deste Governo é clara e francamente fraco", a líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Janira Hopffer Almada, apontou o dedo ao partido no poder falando de "falta de visão e de estratégia". O "Governo prometeu muito mas faz pouco, muita conversa para pouca ação que é o que os cabo-verdianos esperam. Há que haver uma visão estratégica de médio e longo prazo, não podemos dar-nos ao luxo e arrogante prazer de desperdiçar energias, vontades e competências nacionais".

Janira Hopffer Almada
Janira Hopffer Almada, líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV)Foto: DW/J. M. Borges

Para Janira Hopffer Almada, o "crescimento e o progresso só se alcançam com persistência e a contribuição de todos e não na fácil negação do quanto já foi possível fazer. O país não está no bom caminho”.

Ja o presidente da União Caboverdiana Independente e Democrática (UCID), António Monteiro, pôs tónica no sentimento de insegurança no seio dos cabo-verdianos e no aumento de desemprego. "O povo quer como lotaria, nada mais, nada menos de que trabalho - que lhe permite ter rendimentos e gerar a sua própria riqueza, sustentar a família e ter recursos para se sentir gente nestas terras da morabeza, morna, funaná, batuque e coladeira-, ao invés dos despedimentos anunciados na TACV (Transportes Aéreos de Cabo Verde) e consumados no Novo Banco com o encerramento de quase todas as lanchonetes em São Vicente e, consequente, desemprego", afirmou. António Monteiro acrescentou ainda que "o povo das ilhas quer mais emprego, que tarda em aparecer. A taxa de desemprego  ronda, segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística, os 15 por cento”.

Afrika Kap Verde Antonio Monteiro UCID Vorsitzender
António Monteiro, UCIDFoto: Nelio dos Santos

Uma nação mais positiva

O Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, ressaltou, em resposta a todas estas criticas, que Cabo Verde é hoje uma nação mais positiva com ”rumo ao desenvolvimento sustentável”. ”Há claramente mais confiança na economia, derivada de uma nova atitude do Governo na relação com as empresas e com os investidores, de medidas fiscais e financeiras e de estímulos ao financiamento da economia”, assevera Ulisses Correia da Silva, e justifica: ”Este aumento de confiança mede-se pelo elevado número de novos empreiteiros que iniciaram as suas atividades através de alvarás de licenças de construção, pelo número de empresas que estão a implementar projetos de expansão das suas atividades, pela participação de fundos de investimentos estrangeiros, por um aumento significativo de investimento direto estrangeiro nos setores do turismo e da indústria e dos transportes marítimos. Este aumento de confiança mede-se ainda pelo aumento da procura de emprego registada em 2016”.

Admitindo que o país enfrenta "importantes desafios" e "extremas vulnerabilidades" em vários setores, Ulisses Correia e Silva deu conta que o Governo quer colocar Cabo Verde "na rota do desenvolvimento sustentável". "Podemos e queremos garantir o desenvolvimento acelerado e sustentável de Cabo Verde. Este é o grande desígnio nacional", afirmou.

Cabo Verde-Estado da Nação - MP3-Mono

No seu discurso, o governante admitiu que a situação da transportadora aérea pública é um "grande problema" herdado do anterior Governo, mas que o atual está a transformar em "oportunidade". Relativamente à segurança, disse que é um grande problema e um grande desafio, sobretudo nos grandes centros urbanos, apesar da redução da criminalidade nos primeiros sete meses do ano. No campo da política externa, o governante reforçou a opção do Governo de inserir Cabo Verde em "espaços económicos dinâmicos" e posicionar o país como um "aliado credível" para a segurança cooperativa e como uma plataforma de circulação económica no Atlântico Médio.  Para o chefe do Governo, Cabo Verde está no "caminho certo".

O olhar positivista do Primeiro-ministro  foi reforçado pelo líder parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD) , Rui Figueiredo Soares, que afirmou que  "o pessimismo deu lugar a confiança e ao otimismo. A esperança reergue-se das cinzas e o entusiasmo outrora ausente volta ao olhar dos cabo-verdianos”.

O debate sobre o Estado da Nação marca o fim do presente ano parlamentar. Os deputados vão agora de férias até outubro, mês em que retomam os trabalhos em sessão plenária para o debate sobre o Estado da Justiça.

Saltar a secção Mais sobre este tema
Saltar a secção Conteúdo relacionado