Vale Moçambique conclui venda de negócio de carvão à Vulcan | Moçambique | DW | 26.04.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Vale Moçambique conclui venda de negócio de carvão à Vulcan

A empresa mineira brasileira Vale anunciou ter concluído a operação de venda de ativos na exploração de carvão em Moçambique à indiana Vulcan Minerals, um negócio de cerca de 253 milhões de euros.

Mina de carvão em Tete

Negócio foi fechado por cerca de 253 milhões de euros

"A Vale comunica que concluiu no dia 25 de abril de 2022, o processo de transmissão responsável da operação de Moatize e do Corredor Logístico de Nacala para a Vulcan Resources, com base no acordo vinculativo da venda de ativos", anunciado em dezembro, referiu a Vale Moçambique, numa nota à comunicação social.

As minas ficam situadas na província de Tete, centro de Moçambique, e, segundo a Vale, a transação obedeceu às condições definidas por lei, entre as quais as "aprovações dos governos de Moçambique e do Malawi".

Segundo a nota da mineradora, as duas empresas vão continuar a colaborar na "implementação de sistemas, processos e procedimentos, para garantir a continuidade das operações".

A Vale esteve presente em Moçambique por 15 anos, tendo explorado a mina de Moatize e 912 quilómetros de ferrovia no Corredor Logístico de Nacala para o transporte de carvão.

No início de 2021, a empresa anunciou a pretensão de "desinvestir dos seus ativos de carvão" e apostar em "mineração de baixo carbono".

A Vulcan é uma empresa privada indiana que faz parte do Jindal Group, com um valor de mercado de 18 mil milhões de dólares (16,8 mil milhões de euros), e que já está presente em Moçambique, operando a mina Chirodzi, localizada também na região de Tete.

Como recuperar paisagens devastadas pela mineração de carvão

Leia mais