UEFA antecipa recurso ao vídeo-árbitro | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 04.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

UEFA antecipa recurso ao vídeo-árbitro

Rendidos à evidência. Os responsáveis da UEFA retificam posições e confirmam a utilização do árbitro de vídeo já a partir dos oitavos de final da Champions League.

Rendidos à evidência. Os responsáveis da UEFA, inicialmente reticentes em relação à introdução do VAR (acrónimo para a expressão inglesa "Video Assistant Referee") como ferramenta de apoio nos encontros das suas principais competições, retificam posições e confirmam a utilização do árbitro de vídeo já a partir dos oitavos de final da Champions League.

UEFA führt Videobeweis in Champions League ein - Pläne auch für EM

No Mundial da Rússia, a utilização do vídeo-árbitro revelou-se muito útil em alguns encontros

UEFA antecipa "timing" de introdução do VAR

Depois de a FIFA ter oficializado o VAR como elemento integrante das equipas de arbitragem dos seus encontros em fases finais, o caminho para a adoção deste sistema por parte das confederações continentais (designadamente a UEFA, pela Europa, e a CONMEBOL, pela América do Sul, as mais poderosas e capazes técnica e financeiramente) ficou aberto. Era uma questão de decisão "política" que, no caso do organismo que gere o futebol europeu, encontrou no próprio presidente um adepto pouco convencido. O esloveno Aleksander Čeferin remeteu uma tomada formal de posição para o decurso desta temporada, mas foi forçado a antecipar o "timing" previsto (a próxima época), em face de algumas situações em que a disponibilidade do VAR teria concorrido para decisões diferentes (e mais corretas) das equipas de arbitragem.

Agora comandada pelo ex-árbitro "internacional" italiano Roberto Rosetti, a Comissão de Arbitragem da UEFA tem vindo a preparar os seus juízes para a entrada em funções como árbitros assistentes de vídeo já na próxima semana, para os oitavos de final da Champions League. Portanto, os últimos 29 jogos da competição principal entre clubes na Europa terão VAR, o que sucederá, igualmente, na final da Liga Europa, em Baku, no Azerbaijão, na "final four" da Liga das Nações, no Porto e em Guimarães, em Portugal, e na fase final do Europeu de "sub 19", em Itália e San Marino.

Fußball Testspiel Schiedsrichter FIFA

Nas últimas semanas, os melhores árbitros europeus participaram, em Portugal e Espanha, em ações técnicas para uniformização de critérios

Testes rigorosos para dezenas de árbitros europeus

Um numeroso conjunto de árbitros europeus esteve a semana passada em Lisboa, para uma ação destinada a juízes dos principais grupos da UEFA, enquanto esta semana decorre, na cidade espanhola de Málaga, um "workshop" especificamente sobre a introdução do VAR nas competições europeias.

Muitos dos juízes envolvidos estiveram já na Taça das Confederações, em 2017, nos Mundiais de Clubes de 2017 e 2018 ou no Mundial da Rússia, no ano passado, provas que contaram com equipas de arbitragem alargadas, cada qual integrando quatro vídeo-árbitros (um principal e três assistentes).

Os resultados apurados nestas provas, considerados altamente positivos pelos principais dirigentes mundiais, foram, de resto, uma das fortes motivações para a antecipação, por parte da UEFA, da adoção de semelhantes medidas. Aleksander Čeferin sublinha, a esse propósito, estar "convencido de que elas serão benéficas para as nossas competições, providenciando uma ajuda muito útil aos árbitros."

Quando deve o VAR atuar?

São quatro as situações de jogo em que o VAR pode (e deve) intervir: em caso de golos (avaliando se há falta ou "fora de jogo" em lances que resultem na obtenção de golos), nas grandes penalidades (verificando se há razão para a sua marcação ou se, pelo contrário, terá sido incorretamente assinalada), nos cartões vermelhos (chamando a atenção do árbitro central para eventuais jogadas merecedoras de expulsão e que, no relvado, tenham passado despercebidas ao juiz), e nas identidades trocadas (quando for admoestado um jogador errado, por troca com o real infrator).

Fußball 1. Bundesliga | FC Bayern München - TSG 1899 Hoffenheim | VAR

O árbitro alemão Bastian Dankert tem já experiência da "ferramenta" VAR, utilizada na Bundesliga

Apenas nestas situações é admissível a intervenção do vídeo-árbitro, e, mesmo assim, a decisão final compete ao juiz em campo, após receber indicações através do sistema de comunicação que congrega toda a equipa de arbitragem (VAR incluído) e, eventualmente, com o recurso, ele próprio, a um monitor situado junto à linha lateral para tirar dúvidas após um alerta do VAR. Mesmo assim, há já registo de casos em que o árbitro em campo não acatou indicações do VAR, mantendo uma errada decisão inicial, como sucedeu com o alemão Felix Brych no encontro entre Sérvia e Suíça, no Mundial da Rússia. A sua atuação valeu-lhe, de resto, nota negativa e exclusão imediata da prova por parte dos responsáveis de arbitragem da FIFA.

Uma semana para a estreia

Dentro de oito dias, dois jogos farão, portanto, história no futebol das competições europeias: no estádio Olímpico, em Roma (no AS Roma-FC Porto) e em Old Trafford, em Manchester (no Manchester United-Paris Saint-Germain), estarão incluídos quatro novos elementos na equipa de arbitragem. Um VAR (árbitro assistente de vídeo) e três AVAR (assistentes do árbitro assistente de vídeo), cada qual com responsabilidades específicas na observação televisiva dos jogos, mas todos com o mesmo objetivo: ajudar a corrigir eventuais decisões erradas, partindo sempre do princípio de que, quanto menor for a sua intervenção, melhor será para o desenrolar de cada partida.

Leia mais