Tanzânia tem pela primeira vez uma mulher na presidência | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 19.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Tanzânia tem pela primeira vez uma mulher na presidência

Samia Suluhu Hassan tomou posse esta sexta-feira após a morte de John Magufuli. Ao lado da Presidente da Etiópia, Sahle-Work Zewde, a vice de Magufuli torna-se a segunda mulher chefe de Estado em atividade em África

Samia Suluhu Hassan, de 61 anos, é uma mulher muçulmana de fala suave, nascida na ilha de Zanzibar. Ela assumiu a presidência da Tanzânia esta sexta-feira (19.03) para terminar o segundo mandato de cinco anos de John Magufuli, que morreu por problemas cardíacos, segundo informações oficiais, na última quarta-feira (17.03).

Numa cerimónia em Dar es Salaam - onde a maioria dos participantes não usavam máscara preventiva à Covid-19, nem mesmo a própria Presidente - Hassan tornou-se a sexta pessoa a ocupar a presidência da Tanzânia.

"Eu, Samia Suluhu Hassan, prometo ser honesta, obedecer e proteger a Constituição da Tanzânia", disse ao fazer o juramento de posse antes de inspecionar as tropas num desfile militar e receber uma saudação de canhão.

A nova Presidente declarou 14 dias de luto pela morte de Magufuli. O partido Chama Cha Mapinduzi (CCM) reúne-se este final de semana para definir a nomeação de um novo vice-presidente.

Tansania Daressalam | Amtseinführung neue Präsidentin Samia Suluhu Hassan

Hassan durante a cerimónia de posse

Quem é a nova Presidente?

Ao lado da Presidente da Etiópia, Sahle-Work Zewde, Hassan se torna a segunda mulher na posição de chefe de Estado em atividade em África, sendo que o papel de Zwede é principalmente cerimonial.

Hassan iniciou a sua carreira política em 2000 na sua terra natal - Zanzibar, um arquipélago semiautónomo - antes de ser eleita para o Parlamento e de lhe ter sido atribuído um ministério. Ganhou força no CCM e foi escolhida por Magufuli como sua companheira de chapa na sua primeira campanha eleitoral presidencial em 2015.

Hassan nasceu a 27 de janeiro de 1960. Seu pai era professor numa escola e sua mãe dona de casa. Aos 17 anos, assumiu um cargo de escriturária num escritório do Governo.

Em 1988, tornou-se oficial de Desenvolvimento no Governo de Zanzibar. Foi empregada como gestora de projetos para o Programa Alimentar Mundial (PAM) da ONU e mais tarde, nos anos 90, foi nomeada diretora executiva de um organismo que servia de ponto de contacto do Governo com ONGs em Zanzibar.

Samia Suluhu, Vizepräsidentin Tansania

Hassan: "O mais importante é que as coisas sejam feitas como eu digo"

Política nacional

Em 2000, foi nomeada pelo CCM para um lugar especial na Câmara dos Representantes de Zanzibar. Posteriormente, serviu como ministra em duas pastas: Emprego de Jovens, Mulheres e Crianças e Turismo e Investimento Comercial.

Em 2010, foi eleita para a Assembleia Nacional na Tanzânia continental e serviu ao Governo do Presidente Jakaya Kikwete como ministra para os Assuntos da União.

Hassan obteve qualificações universitárias na Tanzânia, Reino Unido e Estados Unidos. Mãe de quatro filhos, sempre encorajou publicamente as mulheres e raparigas tanzanianas a perseguirem os seus sonhos.

"Posso parecer educada, e não gritar ao falar. Mas o mais importante é que todos compreendam o que eu falo e que as coisas sejam feitas como eu digo", disse Hassan num discurso no ano passado.

Assistir ao vídeo 03:52

Uma ilha renascida em Zanzibar

Leia mais