Selma Uamusse organiza concerto solidário para ajudar vítimas do Idai | Moçambique | DW | 01.04.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Selma Uamusse organiza concerto solidário para ajudar vítimas do Idai

Em entrevista à DW África, a cantora moçambicana Selma Uamuse conta que se sentiu "destroçada" quando viu as imagens do ciclone Idai, que passou por Moçambique e deixou a cidade da Beira praticamente destruída.

Esta terça-feira (02.04), às 21h00 de Lisboa, a capital portuguesa, Selma Uamusse promove o espectáculo "Mão dada a Moçambique" para ajudar as vítimas do ciclone Idai. Este concerto realiza-se no Capitólio, em Lisboa, e vai juntar vários artistas e amigos da cantora moçambicana.

Para pôr de pé esta iniciativa precisou juntar vários meios e fazer alguns telefonemas, mas percebeu logo que teria o apoio dos seus amigos artistas e dos seus contactos na indústria musical. A cantora conseguiu juntar esforços em apenas um dia. "Numa manhã consegui falar com as instituições e à tarde consegui falar com os músicos. Entretanto, falei com algumas pessoas que trabalham na produção do Capitólio, com quem já tinha realizado uma outra iniciativa de solidariedade", conta.

Este espectáculo vai ser transmitido pela televisão, pela rádio e também no online através da RTP. Vão estar mais de 40 músicos em palco durante esta iniciativa que vai durar mais de quatro horas, com cada artista a ter direito a um pequeno segmento. Selma promete um evento especial. "São muitos artistas. É natural que surjam muitas parcerias, o alinhamento será relativamente longo, será um espectáculo de quatro horas. Será um concerto de mão dada onde haverá passagem de testemunho de músico para músico".

Alguns dos artistas confirmados são: Ana Moura, Conan Osíris, Gisela João, Samuel Úria, Dino D'Santiago, Sara Tavares, Salvador Sobral, entre outros.

Maneiras de contribuir

Existem dois tipos de bilhetes para apoiar a causa: o Bilhete Geral, que dá para assistir ao espectáculo e custa 20 euros, e o Bilhete Donativo, que custa 20 euros ou 30 euros que não dá acesso ao concerto, mas também serve de contribuição a todas as associações que vão receber ajuda através desta iniciativa. "Os fundos vão ser distribuídos de maneira igual pelas seguintes associações: a ACRAS, a IRIS Relief, a Caritas, a AMI, Médicos Sem Fronteiras, a Cruz Vermelha Portuguesa, a Helpo e a Girl Move", enumera a artista moçambicana.

Ouvir o áudio 03:34

Selma Uamusse promove concerto para ajudar vítimas do Idai

O dinheiro de todas as contribuições vai para uma conta e o processo será transparente e limpo, garante a cantora. "Foi aberta uma conta solidária, uma conta autorizada pelo Ministério da Administração Interna. Todas estas associações escreveram uma carta que é pública, em que se comprometem a usar os fundos de forma idónea."

Segundo Selma Uamusse, "vai haver uma auditoria externa à produção que vai controlar a distribuição destes meios financeiros. Os donativos vão ser recolhidos de várias maneiras: "haverá bilhetes que as pessoas podem comprar para assistir ao concerto" e também existem "os bilhetes donativo, que podem comprar quando quiserem, sendo que esse bilhete não dá direito a assistir ao concerto", explica a organizadora do concerto. Há ainda uma linha de chamadas de valor acrescentado.

A cantora está radicada em Portugal de 1988, onde vive com o marido e as suas filhas.O resto da sua família vive em Moçambique. Selma Uamusse lançou este ano o seu primeiro disco a solo, "Mati".

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados