Nampula: Sabotagem como estratégia da oposição? | Moçambique | DW | 20.04.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Nampula: Sabotagem como estratégia da oposição?

A RENAMO, partido que governa em cinco dos sete municípios da província de Nampula, acusa o braço juvenil da FRELIMO de intensificar ações de sabotagem nas autarquias sob sua gestão. A OJM refuta e diz estar a ajudar.

Sede da FRELIMO em Nampula

Sede da FRELIMO em Nampula

A Organização da Juventude Moçambicana (OJM), ala juvenil da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO, no poder), é acusada de sabotar a governação dos cinco municípios geridos pela Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) em Nampula, no norte do país.

De acordo com Abiba Abá, delegada provincial da RENAMO em Nampula, a sabotagem consiste em encher as ruas de lixo, criar buracos nas estradas e incitar manifestações, um pouco por todos os municípios, mas principalmente na capital provincial, liderada pelo autarca Paulo Vahanle.

"Existe alguma sabotagem por parte dos jovens arruaceiros da OJM" para depois culparem a RENAMO, denuncia.

Abiba Aba, RENAMO-Mitglied in der Provinz Nampula

Abiba Abá: "Existe alguma sabotagem pela OJM"

Segundo a direção do partido, muito está a ser feito, faltando apenas criar estratégias para travar a onda de sabotagens.

"O que temos que fazer como partido é adotar mecanismos para que possamos impedir estes jovens arruaceiros da OJM, para que não impeçam os avanços das autarquias dirigidas pela RENAMO", defende.

OJM "indica o caminho"

O secretário provincial da OJM, Mondefa Augusto Mondefa, refuta as acusações. Diz, pelo contrário, que a sua organização está a ajudar a governação da RENAMO, alertando para os anseios do povo.

"Esses são distraídos e não sabem fazer o bem para a população. Quando a gente começa a dar o recado daquilo que é a inquietação do povo, veem em cima de nós a falar coisas como essas", rebate.

Augusto Mondefa enumera o trabalho da ala juvenil da FRELIMO em Nampula: "No caso da Covid-19, quem foi à rua sensibilizar [a população] foi a OJM. Recentemente, no caso do ciclone Gombe, foi a mesma a ir fazer a remoção das árvores caídas nas estradas. Também nos casos de erosão, é a OJM que aluga os tratores para ir tirar areia e ir colocar naquelas zonas onde já não é possível passar, e para defender as casas das pessoas".

Atuns de Memba: Os jovens de Nampula que usam a música contra o terrorismo

Leia mais