Moçambique: Líder da RENAMO impedido de reunir em Inhambane | Moçambique | DW | 07.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Líder da RENAMO impedido de reunir em Inhambane

O presidente do maior partido da oposição em Moçambique, Ossufo Momade, está a ser impedido de fazer reuniões partidárias em Inhambane. Esta quarta-feira (07.10) foi mesmo obrigado a abandonar a sala que teria arrendado.

Ossufo Momade, líder do maior partido da oposição de Moçambique, diz que vai pedir explicações ao Presidente da República, Filipe Nyusi, por causa do atual clima de intolerância política no país. Segundo o líder partidário, a RENAMO está a ser impedida de reunir na província de Inhambane.

De visita àquela região do sul de Moçambique, o chefe máximo da RENAMO está a ver-se obrigado a reunir com os membros e simpatizantes do partido em sítios inadequados, porque não há espaços disponíveis para os receber. Alegadamente, os agentes económicos estão a ser instrumentalizados pelo partido no poder, a FRELIMO, para não receber esta formação política nos seus estabelecimentos comerciais.

Esta quarta-feira (07.10), na cidade da Maxixe, o partido teria pago um aluguer de uma sala e os membros partidários até já estavam no local, quando se viram obrigados a abandonar o espaço. Segundo os membros da RENAMO, o proprietário do salão de eventos terá recebido instruções para não permitir nenhuma reunião partidária naquele local. 

Mosambik Mitglieder der mosambikanischen Oppositionspartei Partei RENAMO am Ende eines Treffens

Os membros da RENAMO tiveram que reunir-se ao relento com o seu líder, Ossufo Momade

Sem avançar nome, um dos gerentes da sala de eventos disse à DW África que "a pessoa que passou o recibo" não percebeu que o espaço estava a ser requisitado para um evento político e por isso permitiu, inicialmente, a requisição do espaço.

Situação idêntica noutros locais

Em declarações à imprensa, Ossufo Momade afirma que a situação de Maxixe repetiu-se em outros distritos da província de Inhambane. "Em Maxixe, Massinga e Vilanculos, os responsáveis da administração e partido FRELIMO manipularam os agentes económicos para não receberem a RENAMO nos seus estabelecimentos", diz. "Onde é que vamos chegar com este tipo de comportamento?", questiona o líder partidário.

Há menos de um mês, o presidente do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Daviz Simango, também foi impedido de reunir em salões de eventos na mesma província.

O líder da RENAMO afirma que vai convocar um grupo de contacto com o Governo para esclarecer a situação que se vive em Moçambique. "Nós estamos a cumprir na íntegra aquilo que é a nossa obrigação, mas o que estamos a encontrar no terreno é uma situação anómala, por isso vamos convocar um encontro com o grupo de contacto, assim como com o Presidente Nyusi, porque não podemos continuar assim", refere. "Nós somos moçambicanos, gostaríamos de viver em paz, porque a paz não é só o calar das armas. É preciso que haja respeito", defendeu.

Assistir ao vídeo 02:11

Secretário-geral da RENAMO diz que DDR está no bom caminho

Leia mais