Covid-19: Cabo Verde cancela época desportiva | Cabo Verde | DW | 08.05.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Covid-19: Cabo Verde cancela época desportiva

Época desportiva em Cabo Verde cancelada por causa da Covid-19. São já 230 os casos no país. Ligações marítimas de passageiros interilhas são retomadas a partir de segunda-feira, mês e meio após a sua suspensão.

Nas últimas 24 horas, Cabo Verde registou mais 12 casos de Covid-19. Até ao momento, o país contabiliza 230 casos divididos pelas ilhas de Santiago (171), Boa Vista (56) e São Vicente (03). Desses, 56 já recuperaram.

A capital cabo-verdiana transformou-se no epicentro do novo coronavírus com um total de 168 casos, o que levou o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), o principal partido da oposição, a solicitar uma interpelação ao Governo no Parlamento, por entender que a doença terá fugido ao controlo das autoridades.

Kap Verden Fernando Elísio Freire

Fernando Elísio Freire

Mas o ministro do Estado, da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares, Fernando Elísio Freire, tem outro entendimento.

"Descontrolado é o que diz o PAICV, essa conclusão não veio de nenhuma entidade científica de saúde, que é quem pode dizer se a situação é de descontrolo ou não."

Pouco antes de conhecer a posição do PAICV, o Diretor Nacional de Saúde, Artur Correia, alertou a população, particularmente da cidade da Praia, que não pode baixar a guarda, sob pena de a situação ficar descontrolada.

"Vamos ter mais casos, eventualmente vamos ter mais mortes, temos que estar conscientes disso. Se as pessoas continuarem com esse comportamento [de desleixo] a situação poderá descambar, poderá piorar e poderá sair do nosso controlo."

Época desportiva cancelada

Com o aumento do número de casos, o Governo reuniu-se esta sexta-feira com os responsáveis das federações desportivas.

Dessa reunião saiu a decisão de se cancelar a época desportiva 2019/2020, "tendo em conta a situação epidemiológica no país e tendo sempre presente a segurança sanitária dos agentes desportivos, particularmente dos atletas, e tendo em conta o exigente protocolo sanitário que é preciso garantir numa competição desportiva. Todas as federações concordaram", anunciou Fernando Elísio Freire, que é também ministro do Desporto.

Assistir ao vídeo 04:57

Cabo Verde recomeça aulas escolares através da TV e rádio

Essa decisão abrange também as provas internacionais em que o país deveria participar.

"Nós cancelamos a época desportiva tendo como referencial o seguinte: o adiamento dos Jogos Olímpicos para o próximo ano", esclareceu Fernando Elísio Freire.

"O campeonato mundial de andebol será apenas em 2021. Todas as atividades internacionais africanas ao nível do basquetebol e futebol só acontecerão também em 2021. Todas as ações das outras modalidades, concretamente voleibol e ginástica, também acontecerão em 2021, portanto, em 2020 Cabo Verde não terá nenhuma representação internacional a fazer."

Ligações marítimas interilhas retomam

Mês e meio depois da suspensão das ligações marítimas de passageiros entre as ilhas, o primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva anunciou a sua retoma a partir de segunda-feira.

"Estando já sete ilhas fora do estado de emergência e considerando a sua situação epidemiológica face à Covid-19, o Governo decidiu autorizar, a partir do dia 11 de maio, a retoma das ligações marítimas interilhas para o transporte de passageiros."

Correia e Silva anunciou que há exceções, nomeadamente as ligações que "têm origem ou destino em Santiago e em Boa Vista, por estarem ainda em estado de emergência".

A retoma das ligações marítimas vai obrigar ao controlo de temperatura dos passageiros, que passam também a ter de usar obrigatoriamente máscaras faciais.

Quanto à retoma das ligações aéreas, tudo dependerá da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO) e da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA): "Relativamente aos transportes aéreos interilhas e internacionais, o Governo terá uma posição sobre a reabertura das atividades e sobre as condições e as novas regras de proteção sanitária após as diretivas da ICAO e da IATA, previstas para este mês de maio."

Leia mais