Campanha eleitoral em Moçambique: Comício em Nampula termina em tragédia | Moçambique | DW | 12.09.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Campanha eleitoral em Moçambique: Comício em Nampula termina em tragédia

A campanha do candidato Filipe Nyusi, da FRELIMO, terminou na quarta-feira (11.09) à noite em tragédia na cidade de Nampula. Pelo menos dez pessoas morreram e mais de 80 foram feridas. A FRELIMO garante apoio às vitimas.

A campanha da FRELIMO, o partido no poder, no estádio 25 de junho na cidade de Nampula, que foi bastante concorrida, começou num ambiente de festa, mas terminou em tragédia.

Segundo Monteiro Luís, um dos guardas do recinto desportivo, tudo começou ‘‘dentro do comício quando o presidente e candidato presidencial discursava, enquanto os outros queriam sair e outros pretendiam entrar no interior [do estádio], e como era única porta e com aquela força outros começaram a cair.’’

A tragédia causou pelo menos dez mortes de membros e simpatizantes do partido FRELIMO, segundo o primeiro secretário do Comite Provincial do partido dos camaradas em Nampula, Agostinho Trinta, em comunicação a imprensa:

Agostinho Trinta (DW/S. Lutxeque)

Agostinho Trinta, da FRELIMO de Nampula, pede explicações à polícia

‘‘Deste incidente, 95 membros e simpatizantes do partido FRELIMO foram afetados. Destes, 85 ficaram feridos, 74 tiveram alta, estando ainda em cuidados onze pacientes. Infelizmente, registou-se a perda de vida de dez militantes do partido, sendo seis mulheres e quatro homens’’, disse.

O partido não avança efetivamente as reais causas, mas aguarda que as autoridades policiais investiguem e se pronunciem. Contudo, assegura que já foi criada uma comissão para prestar devido apoio às vítimas dos incidentes.

FRELIMO apresenta condolências às famílias das vítimas

Ouvir o áudio 02:36

Comício em Nampula termina em tragédia

‘‘Neste momento de dor, o partido FRELIMO solidariza-se e lamenta a perda de vida e apresenta as sentidas condolências às famílias enlutadas dos seus membros e simpatizantes. Foi constituída uma comissão para o acompanhamento das família dos feridos e prestar todo a poio e solidariedade. A FRELIMO aguarda das autoridades policiais o esclarecimento real das causas deste incidente’’, disse Agostinho Trinta.

Nem a polícia, nem a direção do Hospital Central de Nampula se pronunciaram a respeito da tragédia.

Este é o maior incidente mortal desde que iniciou a campanha eleitoral em Moçambique a 31 de Agosto do ano em curso. De referir que antes do pronunciamento do partido, fazia-se sentir um ambiente bastante conturbado, no recinto do Hospital Central de Nampula, por parte dos membros e simpatizantes da FRELIMO.

Estes não admitiam sequer que os jornalistas captassem imagens no recinto do hospital, onde estão internados muitos dos seus correligionários. Houve mesmo agressões contra jornalistas e foi mesmo destruido o material dum repórter da Televisão Sucesso.

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados