Cabo Delgado: Apoio dos EUA a Moçambique tem foco na formação | Moçambique | DW | 16.10.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Cabo Delgado: Apoio dos EUA a Moçambique tem foco na formação

O adido de Defesa da Embaixada norte-americana em Maputo disse que a capacitação de militares é o foco do apoio dos Estados Unidos às forças moçambicanas que combatem grupos armados em Cabo Delgado.

Treino de militares moçambicanos em navio de guerra dos EUA

Treino de militares moçambicanos em navio de guerra dos EUA (imagem de 2019)

"Os nossos programas estão focados na formação para criar capacidades nas forças moçambicanas", declarou Fergal O'Reilly este sábado (16.10).

"Nós acreditamos que a criação de um bom militar depende da formação da sua personalidade", acrescentou o adido de Defesa da Embaixada norte-americana em Maputo.

O responsável falava à comunicação social, momentos após uma visita ao navio de guerra da Marinha dos Estados Unidos que atracou na sexta-feira (15.10) no porto de Maputo.

Em setembro, os Estados Unidos concluíram o segundo treino militar conjunto face à ameaça terrorista em Cabo Delgado, uma capacitação feita pelas Forças de Operações Especiais dos Estados Unidos da América (EUA) e que teve como principal objetivo evitar a propagação da insurgência armada no Norte de Moçambique.

Programas de formação vão continuar

Os programas de formação dos Estados Unidos são destinados a comandos e fuzileiros das Forças Armadas de Moçambique e, além de reforçar a sua capacidade face a uma ameaça terrorista, visam fortalecer a cooperação entre o executivo de Washington e de Maputo.

Assistir ao vídeo 01:41

Mulheres soldado ruandesas em Moçambique

"Uma das coisas que mais valorizamos na área militar dos Estados Unidos são os nossos soldados, marinheiros e fuzileiros", frisou Fergal O'Reilly, sublinhando que os programas de formação vão continuar no próximo ano.

O porta-voz da Marinha de Guerra de Moçambique, que também visitou o navio norte-americano atracado no porto de Maputo, destacou a importância das relações entre os setores da defesa dos dois países, considerando que Moçambique pretende "capitalizar os conhecimentos e adaptá-los à sua realidade".

"Esta é uma parceria que já existe [há anos] e este tipo de visita [do navio norte-americano] ajuda na capitalização de conhecimentos, com especial atenção ao uso de tecnologia e transferência de conhecimentos para nós podermos aplicar na nossa realidade no terreno", frisou Charifo Sabodine.

O navio de guerra, designado Base Marítima Expedicionária USS Hershel "Woody" Williams (ESB 4) e que é responsável pelo Comando Africano dos EUA, atracou no porto de Maputo na sexta-feira e, durante três dias, oficiais da marinha dos dois países vão trocar experiências.

Assistir ao vídeo 02:12

Aldeia 3 de Fevereiro: Novas esperanças para deslocados em Cabo Delgado

Leia mais