Angola: Mais 50 milhões de dólares para vacinas contra a Covid-19 | Angola | DW | 30.04.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: Mais 50 milhões de dólares para vacinas contra a Covid-19

O Presidente João Lourenço diz que Angola vai receber um apoio de 50 milhões de dólares do Banco Europeu de Investimentos para adquirir vacinas.

O chefe de Estado angolano anunciou o apoio de 50 milhões de dólares (41,2 milhões de euros) durante o almoço que manteve com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e sua delegação, depois de uma audiência de cerca de uma hora que concedeu ao responsável europeu.

João Lourenço disse que o país fez grandes investimentos em infraestruturas no quadro das medidas de combate à pandemia de Covid-19, que inclui igualmente esforços para a aquisição de vacinas na luta contra a doença. 

Segundo o Presidente angolano, o plano de vacinação nacional foi iniciado com recurso às cerca de 630 mil doses doadas pela iniciativa Covax, que se comprometeu apoiar esta doação até atingir as 13.224.240 doses de vacinas de diversas marcas. 

"Esperamos ainda beneficiar de 50 milhões de dólares do Banco Europeu de Investimentos para aquisição de vacinas", informou João Lourenço, salientando que o país adquiriu com recursos próprios 6.000.000 de vacinas da Rússia, a Sputnik V, que conta receber, a primeira metade, já em maio.

Infografik - COVID-19 Impfungen pro 100 Menschen - PT

Fórum empresarial

Esta sexta-feira (30.04), o chefe de Estado angolano anunciou também que estão em curso trabalhos para a realização, ainda este ano, de um Fórum Empresarial de alto nível União Europeia/Angola.

João Lourenço anunciou ainda trabalhos para a conclusão do processo de adesão de Angola ao Acordo de Parceria Económica com a União Europeia (UE).

João Lourenço, Angola Präsident

Presidente João Lourenço

O Presidente angolano disse que o país está hoje seriamente apostado na diversificação da economia, com uma forte aposta no setor privado, através da criação de um melhor ambiente de negócios, que atraia os investidores privados nacionais e estrangeiros e os estimula a investir na agricultura e pescas, na indústria, hotelaria e turismo, materiais de construção, produção de adubos e fertilizantes e em todos os outros ramos do seu interesse.

João Lourenço referiu que o Estado está a realizar concursos públicos para a gestão e exploração de terminais portuários, de caminhos-de-ferro, bem como a alienar, por via de concursos públicos de privatização, um leque considerável de ativos a favor de privados.

"Todas essas medidas vêm em simultâneo com uma vasta campanha de combate à corrupção e à impunidade", destacou.

Cooperação Angola-UE

Por sua vez, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel disse que abordou com o Presidente angolano assuntos de interesse comum, manifestando o desejo de continuar a trabalhar em conjunto sobre vários assuntos.

EU-Ratspräsident Charles Michel

Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel

"Agradecemos o engajamento positivo de Angola para orientar as soluções mais consensuais e fidedignas em locais onde há dificuldades e para que cheguemos a baixar as tensões, a fim de encontrarmos estabilidade e também agradeço a cimeira que Angola convocou aqui, dia 20 de abril, tendo em conta a situação na RCA [República Centro-Africana]", referiu.

Charles Michel defendeu também maior cooperação entre governos e setor privado para acelerar a produção de vacinas, sobretudo no continente africano.

"Precisamos de mais vacinas em todo o mundo", destacou.

"Defendemos mais indústrias do setor farmacêutico em África, isso é uma prioridade para a União Africana e a União Europeia está também totalmente disponível para ser mobilizada e é favorável a esta abordagem".

Charles Michel disse que tem conversado com líderes africanos para que isto seja uma realidade "o mais rápido possível".

Assistir ao vídeo 05:01

Angola: Facilitar a mobilidade dos universitários durante a pandemia

Leia mais