1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Präsident von Mosambik besucht Militärstützpunkt
Filipe Nyusi visitou Cabo Delgado em julho de 2021Foto: Roberto Paquete/DW

Nyusi defende cooperação alargada para travar terrorismo

Lusa
15 de setembro de 2022

Em declarações, esta quinta-feira (15.09), o Presidente moçambicano lembrou que o "financiamento e recrutamento [de insurgentes] ocorre fora do local dos ataques", o que exige uma resposta regional.

https://p.dw.com/p/4GvrU

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, defendeu, esta quinta-feira (15.09), o reforço da investigação e a cooperação alargada entre os países da região como soluções para travar o terrorismo.

"O combate à criminalidade organizada e transnacional e, sobretudo, ao terrorismo e suas manifestações, sugere aos Estados uma cooperação alargada na troca e partilha de informações", declarou Filipe Nyusi.

O chefe de Estado moçambicano falava durante a abertura do "Encontro Regional dos Dirigentes dos Ministérios Públicos e de Polícia de Investigação Criminal da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), que decorre entre hoje e sexta-feira em Maputo.

Para Filipe Nyusi, o combate contra o terrorismo exige o "bloqueio" dos canais e fontes de financiamento, que normalmente se encontram fora da região onde os insurgentes provocam terror. 

"O financiamento e recrutamento ocorre fora do local dos ataques, por isso, é urgente que o judiciário adote uma nova forma de se organizar e cooperar para o reforço de medidas mais expeditas e flexíveis, na prevenção e combate à criminalidade organizada e transnacional, com enfoque para o terrorismo e extremismo violento", frisou o chefe de Estado moçambicano.

A aposta numa investigação profunda por parte dos órgãos de justiça da região é vista pelo chefe de Estado como fundamental, na medida em que esta é a condição para que os mentores destas incursões sejam identificados e responsabilizados.

"O fenómeno de terrorismo provoca a deslocação de milhares de cidadãos, retrocedendo, por conseguinte, o desenvolvimento sustentável do país, da região e do continente, para além de atentar contra a nossa soberania e integridade territorial", observou.

A província de Cabo Delgado é rica em gás natural, mas aterrorizada desde 2017 por violência armada, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

População em fuga no norte de Moçambique

Saltar a secção Mais sobre este tema
Saltar a secção Conteúdo relacionado