++ Minuto a Minuto: Eleições em Moçambique ++ | Moçambique | DW | 10.10.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

++ Minuto a Minuto: Eleições em Moçambique ++

Cerca de quatro milhões de eleitores foram chamados a escolher os presidentes de 53 municípios moçambicanos e respetivos membros de assembleias. Resultados provisórios devem ser conhecidos até quinta-feira.

Todas as atualizações na hora de Maputo

Os principais acontecimentos do dia das eleições autárquicas de 2018 em Moçambique:

- Começa a escuridão... Depois de encerradas as urnas.

- Na Zambézia eleitores regressaram aos lugares de votação perto do encerramento da votação.

- ONGs que monitorizavam a votação denunciam ilícitos eleitorais.

- Presença intimidatória da polícia em Nampula e Zambézia.

 

Mais informações sobre as eleições autárquicas em Moçambique: Encontra tudo sobre a contagem de votos no "++ Minuto a Minuto: Contagem de votos em Moçambique ++"

Uma síntese do dia da votação pode ser lida em "Autárquicas marcadas por alguns constrangimentos"

 

++ Minuto a Minuto: Eleições em Moçambique ++

22:00 Encerramos agora o "Minuto a Minuto: Eleições em Moçambique". Amanhã às 6 horas cá estaremos para continuar com as atualizações do processo eleitoral autárquico. Algo que queira partilhar escreva-nos na nossa página no Facebook: DW Português para África

21:55 Algumas incongruências na hora da contagem:

21:24 Já há resultados parciais em algumas mesas de voto em Maputo: 

21:18 Incêndios e disparos marcam o fim da votação em Nacala-Porto, segundo o CIP na sua página no Facebook. Segundo testemunhas, tudo começou quando um carro da PRM foi visto pelos populares com uma maleta, cujos eleitores a identificaram como recipiente de boletins de votos. Os eleitores ao pedirem esclarecimento, a Polícia lançou gás lacrimogénio e incendiou a residência de uma família. O facto sucedeu próximo da Escola Secundária Completa (EPC) de São Vicente de Paulo.

21:13 E o cidadão já reclama do corte quase generalizado de energia elétrica na hora da contagem dos votos: 

21:00 Na Escola Primária Completa (EPC) de Nhamabira, arredores da cidade de Tete, já iniciou há algum tempo o processo de contagem de votos, em 5 das 7 assembleias de votação instaladas lá, constatou a nossa equipa de reportagem. Os membros das mesas de voto que estiveram nesta escola classificam de ordeiro o processo de votação e falam ainda de muita afluência de eleitores.

20: 53 Noutros postos de votação falta luz e à situação de segurança é crítica. Centenas de eleitores colocaram barricadas nas ruas e bloquearam entradas:

20:51 Em Quelimane já se contam os votos, como reportou a DW África no local:

20:48 A polícia dispara para dispersar manifestantes:

20:33 Na província do Niassa os eleitores tomam medidas:

 

20:31 E já começam a sair os primeiros resultados provisórios das assembleias de voto:

20:28 Até a capital moçambicana está às escuras:

 

20:24 Na Ilha de Moçambique, o presidente da mesa 2, no posto de votação de Macicate, foi encontrado com boletim de voto pré-marcado a favor da FRELIMO e foi detido, revela o CIP na sua página no Facebook.

20:15 Na província do Niassa também já se contam os votos.A plataforma Onthala cita como exemplos a EPC Filipe Samuel Magaia, Escola secundária Samora Moisés Machel e Ngame em Mandimba.

20:10 E na Beira a história se repete:

 

19:47 Observador do Parlamento Juvenil detido em Chimoio na EP1 e EP2 Bloco 9, de acordo com o Parlamento Juvenil de Moçambique na sua página no Facebook. A Polícia alegou estar a cumprir "ordens superiores " e que é proibido fotografar nos postos de votação. Mas a Lei Eleitoral no seu artigo 77 número 3 estabelece que é apenas proiíbido fotografar na cabine de votação. O observador foi liberado 15 minutos depois 

19:35 Algumas assembleias de voto encerraram pontualmente às 18 horas o processo de votação, como é o caso dos municípios de Quelimane e Gurué, na província da Zambézia, de acordo com a plataforma Mobilize na sua página no Facebook.

19:27 Na mesa 03 do posto nr. 14, no Instituto de Formação de Professores em Pemba, há falta de corrente elétrica. A lanterna foi a solução encontrada para se continuar a contagem dos votos, informa o Othanla.

 

19:04 As escolas 7 de abril e Micajune, Maganja da Costa na província da Zambézia não têm iluminação adequada, usam lanternas, até pessoais, reporta o Othanla.

19:02 Em Mutarara, província de Tete, já se faz a contagem de votos há algum tempo. 

19:00 Depois da votação, a população do bairro de Assumane, nos arredores de Lichinga (Niassa), não saíram do local de votação para aguardar a contagem dos votos e a publicação dos resultados. Por isso, a Força de Intervenção Rápida (FIR) da Polícia de Moçambique foi chamada ao local. Para dispersar a população, a Forca de Intervenção Rápida disparou gás lacrimogéneo. A população ficou em pânico e vários jornalistas – entre eles o correspondente da DW África (Manuel David), e repórteres do jornal Mwatengue da Rádio Esperança – que estiveram no local foram alvos de intoxicação do gás lacrimogéneo disparado pela polícia. Durante o pânico, em algumas mesa de voto as urnas foram abandonadas por alguns elementos das mesas, presidentes e escrutinadores.

18:58 Confira o que Daviz Simango, edil da Beira pelo MDM, disse após a sua votação nas eleições autárquicas: 

Assistir ao vídeo 00:18
Ao vivo agora
00:18 min

Daviz Simango votou na Beira

18:53 Gurué está às escuras neste momento, um “apagão” total invadiu a cidade às 18 horas. O facto foi reportado pelos eleitores da cidade ao Jorna Txopela. Eles lamentam a situação que pode ser interpretada como tentativa de viciação do processo eleitoral.

18:44 Na autarquia de Namaacha estão às escuras desde às 18 e 10 minutos. A maioria das assembleias de voto não dispõem de fontes alternativas iluminação,informa a plataforma Othanla

18:36 A votação ainda decorria ao meio da tarde quando dois membros da RENAMO foram detidos no bairro Namaripe na vila de Angoche, acusados de pertubação da ordem e segurança no processo de votação. Trata-se de Mussa Caetano e Francisco Caetano, sendo o primeiro delegado daquele partido, reporta o CIP na sua página no Facebook.

18:31 Na EPC de Vilankulo Sede.os munícipes acataram as mensagens sobre aguardar em casa pela contagem dos votos. Pelos vistos não existe nenhum eleitor nas assembleias de voto dando inicio a contagem, reporta a plataforma Othanla Moçambique

18:27 E começa a escuridão nas assembleias de voto, justamente na hora da contagem dos votos...

18:23 Fiscais da RENAMO na província de Inhambane foram mandados embora, segundo Gania Mussagy, deputada deste partido:

Assistir ao vídeo 00:44
Ao vivo agora
00:44 min

RENAMO suspeita de fraudes nas autárquicas em Inhambane

18:15 De acordo com o CIP, na sua página no Facebook, a Presidente da Mesa da Assembleia de Voto nr. 03086-02 do Aeroporto em Angoche foi encontrado em flagrante por um delegado da RENAMO a entregar boletins de voto a um membro da FRELIMO. O facto foi apresentado à polícia, mas esta disse que não poderia fazer nada.

18:07 A coligação de organizações não-governamentais (ONG) "Votar Moçambique" atribuiu os ilícitos eleitorais à causas técnicas, noticia a LUSA. Eleitores encontraram os seus nomes riscados nos cadernos eleitorais, como indicação de que já votaram, quando ainda não o tinham feito. Essas situações ocorreram em assembleias de voto dos municípios de Nampula e Nacala, norte do país, Quelimane, centro, e cidade de Maputo, sul. 

18:00 Oficialmente termina agora a votação em todo o país. Há uma hora a situação já era esta no Gurué:

17:44 OMobilize, ferramenta do Votar Moçambique, está a acompanhar o processo de votação desde o  início. De acordo com esta plataforma, através da sua página no Facebook, inicialmente o processo estava calmo apesar de algumas irregularidades. A  ferramenta que visa inserir cada vez mais a sociedade em processos eleitorais relata ainda que se destacaram os seguintes problemas: Violação da Lei eleitoral, Violação do segredo do voto, Eleitores impedidos de exercer o seu direito cívico, agitaçaõ e violência causadas aparentemente pela lentidão no processo de votação. 

17:38 No município de Cuamba, AV 0111904, na província do Niassa, um dos escrutinadores sai constantemente sem justificação e se posiciona com frequência, de forma estranha, atrás das urnas com saídas, denuncia o Parlamento Juvenil de Moçambique na sua página do Facebook. 

17:34 Muitas mesas de voto em Quelimane estão completamente vazias. Aguarda-se pelo período da contagem dos votos, prevista pontualmente para às 18 horas. Entretanto, dezenas de eleitores regressaram as suas casas porque os seus nomes não constam dos cadernos eleitorais no posto de votação da Escola Primária do Primeiro Grau de Torrone Velho.

17:30 A cerca de trinta minutos do fim da votação já escurece em Moçambique. Mas não faltam soluções caso falte energia elétrica:

17:20 Leia a Avaliação da abertura de sessão de abertura no dia da votação da Sala da Paz, um mecanismo de monitoria e gestão de conflitos eleitorais que pretende contribuir para eleições intercalares pacíficas e ordeiras

 

16:55 De acordo com o CIP,há centenas de eleitores excluídos da votaçãono Gurué. São 500 eleitores que não constam dos cadernos de registro eleitoral em três assembleias de voto, incluindo o chefe de lista da RENAMO. Adriano John foi obrigado a apresentar uma cópia do seu cartão de eleitor.

16:34 Na autarquia de Xai-Xai, há evidências de fraude eleitoral. Membros da FRELIMO nomeados dirigentes fora de distritos autárquicos há mais de um ano, votaram hoje. Segundo a lei eleitoral, o cidadão que se mudou para  outro lugar há mais de seis meses não pode votar no anterior lugar de residência. Mas Guilhermina Sitoe, votou, mesmo sendo diretor de Saúde, Mulher e Ação Social em Massingir. Mirna Chiboleca é diretora de Educação em Guija, um distrito não autárquico, também votou. Hermenegildo Chivure é administrador de Chicualacuala há mais de dois anos e votou na Escola Primária de Macambacuine.

Mosambik Lokalwahl | Guilhermina Sitoi & Mirna Chiboleca

Guilhermina Sitoi (dir.) e Mirna Chiboleca

16:21 As Assembleias de votos nas 5 autarquias de Inhambane já começaram a ficar vazias desde o princípio desta tarde. As autoridades da administração eleitoral dizem que o processo teve uma maior afluência logo nas primeiras horas do dia. Acreditam que possa haver novamente grande afluência perto da hora do fecho da votação. 

16:02 Diretores distritais e vereadores da FRELIMO presidem mesas de voto em Tete, informa o site Othanla Moçambique. Os diretores Pedro Baute e Rosinha Borges presidem mesas na Escola Secundária de Moatize onde também o vereador das Atividades Económicas, Zamaleke, preside a mesa. Na Escola Primária das Oitavadas no Bairro Nhanchere o vereador da Urbanização e ex-secretário do Conselho distrital da Juventude e membro sénior da FRELIMO, Chumbo, também comandam as mesas.

15:53 Já há relatos de violência em Nampula. A Polícia está a disparar granadas de gás lacrimogéneo na EPC Apeia para dispersar os eleitores. Tudo começou, de acordo com Juma Aiuba, porta-voz da ONG Sala da Paz, quando três cidadão vindos do distrito vizinho de Muecate dirigiam-se as urnas para exercer, ilegalmente, o direito de voto. A Sala da Paz lamenta a situação. De acordo com fontes, as pessoas estavam alojadas na residência de Agostinho Chelua, primeiro secretário-provincial da FRELIMO na província.

15:48 No posto de votação de canhanda, em Chibuto, província de Gaza, a polícia está a interditar a presença de jornalistas no local, de acordo com a página online Othanla.

15:38 Venâncio Mondlane, o membro da RENAMO que viu a sua candidatura como cabeça de lista para a cidade de Maputo chumbada pelo Tribunal Constitucional, exerceu o seu direito de voto: 

Kommunalwahlen Mosambik - Maputo

Venâncio Mondlane, o político que causou polémica nestas eleições, já votou

15:20 Oiça o que os cabeças de lista dos principais partidos na cidade de Tete disseram neste dia de eleições:

Assistir ao vídeo 01:17
Ao vivo agora
01:17 min

Cabeças de lista já votaram em Tete

15:08 Em Nacala-Porto, a RENAMO deteve dois supostos eleitores ilegais, reporta o CIP. Tinham cartões de identificação com endereços em Mossuril e Nacaça-a-Velha. Esta ONG que defende a transparência lembra que este partido não tem o direito de deter eleitores e muitas eleitores mudaram-se para novos lugares onde se registam para votar. Numa conferência de imprensa ao meio-dia de hoje, a RENAMO afirmou que a FRELIMO está a trazer eleitores para Nacala de camião, incluindo trabalhadores de saúde.

Mosambik Lokalwahlen In Quelimane

Idosa cansada de esperar para votar

15:03 Idosos queixam se de discriminação  nas filas de votação. Contam que as filas são tão longas que não conseguem permanecer de pé muitas horas.  Os mais novos não cedem lugar. Uma delas Joaquina Álvaro, diz ter chegado ao posto de votação da Escola Primária 17 de Setembro em Quelimane às 8 horas locais, mas até às 12 horas não tinha votado.

Mosambik Quelimane Lokalwahlen Polizei (DW/Marcelino Mueia)

Polícia de intervenção rápida em Quelimane

14:31 Eleitores, nos postos de votação de Cololo e Instituto industrial de Quelimane estão assustados com a presença da força de intervenção rápida fortemente equipada. Alguns já pensam em abandonar temporariamente as filas. No local está também presente a  polícia de proteção civil.

14:15 Dois presidentes de assembleias de voto foram presos por distribuir boletins de voto extra aos eleitores, informa o CIP, Centro de Integridade Pública. Os casos aconteceram em Massinga, província de Inhambane, e Ilha de Moçambique, em Nampula. Na Ilha de Moçambique o caso foi descoberto por um delegado da RENAMO. 

13:41 O presidente da Assembleia de Voto nr. 4 na autarquia de Massinga, província de Inhambane, foi detido poucas horas depois do arranque da votação. O presidente terá entregado três boletins de voto a eleitores que conhecia, denunciaram delegados dos partidos presentes no local, que informaram de imediato a Polícia da República de Moçambique. A PRM e a Comissão Distrital de Eleições confirmaram a detenção ao correspondente da DW Luciano da Conceição.

Lokalwahlen in Mosambik - Wahl in Inhambane

Inhambane a votos

13:27 O cabeça de lista do MDM na cidade de Maputo, Augusto Mbazo, disse depois de votar que está a acompanhar  este processo "serenamente e muito confiante" na vitória. Também o candidato da coligação Esperança do Povo, José Balate, afirmou que "a vitória esta garantida". Já o candidato do Movimento Solidariedade Cívica de Moçambique, Carlos Tembe, apelou à adesão em massa dos cidadãos ao processo de votação.

13:12 O porta-voz da RENAMO no processo eleitoral na cidade de Maputo, Venâncio Mondlane, defendeu a votação em massa dos munícipes. "Temos de votar porque é a arma democrática mais poderosa do mundo e que está á nossa disposição de forma gratuita, disse após exercer o seu direito de voto. Segundo Mondlane, a abstenção neste momento é o maior inimigo e os munícipes devem aproveitar a oportunidade para “marcar uma nova página."

12:53 Em comunicado enviado à DW, a missão de observação eleitoral Sala da Paz considera que "o primeiro momento de votação está a correr de forma tranquila, pacífica e satisfatória", mas sublinha que é preciso corrigir os "pequenos incidentes" e ilícitos eleitorais que têm estado a ocorrer no país. "A Sala da Paz apela aos eleitores recenseados nas zonas autárquicas a continuarem a afluir em massa nos locais onde se recensearam para exercer o seu direito de voto".

12:38 A Polícia moçambicana faz uma avaliação positiva do processo em curso, que diz estar a decorrer dentro da normalidade em todas as autarquias. "Não há nenhum incidente que tenha sido registado digno de realce que provocasse a interrupção da votação", disse o porta-voz do Comando Geral da Polícia, Inácio Dina, em entrevista à Rádio Moçambique.

12:23 A coligação de organizações não-governamentais "Votar Moçambique" criticou os atrasos na abertura das mesas de voto, considerando que a situação pode prejudicar o exercício do direito de voto. Paulo Monjane, da plataforma de observação eleitoral, criticou ainda a falta de preparação de alguns membros de mesas de voto, referindo a existência de casos de agentes eleitorais que não sabem ler. 

Lokalwahlen in Mosambik - Wahl in Inhambane

Eleitores em Inhambane, no sul

12:10 O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) desdramatiza o atraso registado esta manhã na abertura de algumas mesas de assembleias de voto. O porta-voz do órgão, Cláudio Langa, disse à Rádio Moçambique que foi reposto o normal funcionamento dessas mesas. Segundo Langa, o processo de votação decorre de forma tranquila e as urnas só vão encerrar quando for atendido o último eleitor que se encontrar na fila à espera de votar.

11:54 O líder interino do principal partido da oposição não deverá votar nas eleições autárquicas de hoje, disse à Lusa fonte da RENAMO. Ossufo Momade permanece na Serra da Gorongosa, no centro do país, desde junho - na mesma base onde se refugiu, de 2015 até morrer, a 3 de maio, Afonso Dhlakama, alegando razões de segurança. 

Ouvir o áudio 00:22
Ao vivo agora
00:22 min

Ivone Soares denuncia "uso abusivo da força policial"

11:42 Minutos depois de votar, no Bairro do Triunfo, em Maputo, a líder parlamentar da RENAMO, Ivone Soares, lamentou o "uso abusivo" da força policial nos últimos dias de campanha para as eleições autárquicas, "para reprimir quem tem ideias contrárias a quem está a governar neste momento".

A deputada  e membro da comissão política da RENAMO sublinhou que Moçambique vai ter eleições gerais dentro de um ano e que não pode haver violência: "Esperemos que isso não volte a acontecer".

11:36 Em Lichinga, na província do Niassa, também há relatos de longas filas para votar desde cedo no quinto escrutínio autárquico na história do país - como na Escola Primária Completa de Namacula.

11:30 O presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Abdul Carimo, considera que o processo de votação está a decorrer com serenidade e harmonia. E espera que reine a acalmia até ao apuramento dos resultados. Depois de votar, Abdul Carimo apelou a todos os moçambicanos para afluírem em massa às urnas a fim de exercerem o seu direito de voto.

11:22 Em Pemba, a DW África encontrou alguns eleitores que ainda não votaram e que preferem dirigir-se às urnas no período da tarde. Mas muitos outros já votaram e apelam ao voto, como a eleitora Taciana Gabriel.

Assistir ao vídeo 00:27
Ao vivo agora
00:27 min

Autárquicas: "Muita satisfação" por votar

11:11 Em Inhambane, o movimento nas assembleias de voto tem sido fraco desde as primeiras horas do dia em quase todas as autarquias, relata o correspondente Luciano da Conceição. O presidente da Comissão Distrital de Eleições de Maxixe, Mateus Rogério, disse à imprensa que o cenário é "preocupante", mas acredita que muitos eleitores podem ainda afluir às assembleias de voto durante a tarde. As urnas encerram às 18:00.

11:00 O cabeça de lista da RENAMO no município de Pemba, António Vasco, votou na Escola Secundária local. Em declarações à DW África, disse que como forma de homenagear o falecido líder do partido, os munícipes devem votar em massa para "tornar real" o projeto de Afonso Dhlakama. António Vasco diz-se preparado para aceitar os resultados, "se forem transparentes e justos."

Mosambik Afonso Dhlakama

Afonso Dhlakama, histórico presidente da RENAMO, morreu a 3 de maio de 2017

10:44 O boletim "Processo Político Moçambicano - Eleições Locais 2018 " acaba de publicar a sua primeira avaliação do processo. Registam-se longas filas em muitos locais, o que sugere que o nível de participação dos eleitores será mais elevado este ano comparativamente às eleições municipais anteriores, que não atingiu os 50%.

10:30 Em Xai-Xai, a votação nas 134 mesas de assembleias de voto arrancou à hora prevista. Nalgumas assembleias de voto, a afluência era grande, mas noutras, como na Escola Primária Completa 7 de Outubro (foto) não se via quase ninguém até às 10:00, constatou o correspondente Carlos Matsinhe.

Segundo a RENAMO, alguns delegados tiveram acesso impedido em 15 mesas de voto, alegadamente porque nas suas credenciais não constava o número da mesa onde deviam fiscalizar a votação. O cabeça de lista do maior partido da oposição, Mouzinho Gondorujo, diz que o impedimento é contrário á lei e "abre espaço para a fiscalização em qualquer assembleia de voto".

10:17 O antigo Presidente Joaquim Chissano defendeu esta quarta-feira que "não votar faz mal ao país porque as pessoas não se posicionam".

Mosambik Ex-Präsident Joaquim Chissano

Joaquim Chissano apela ao voto

Falando depois de exercer o seu direito de voto na Escola Secundária da Polana, Chissano disse que "os que votam engajam-se". As últimas eleições autárquicas foram marcadas por um elevado índice de abstenção, mas os órgãos de administração eleitoral afirmam que pretendem inverter esta cenário.

10:06 Na cidade da Beira, numa mesa de voto da Escola Amílcar Cabral, às 09:17 a votação ainda não tinha começado, alegadamente por falta de uma urna. Cinco das oito mesas de voto na Escola Secundária de Muchatazina também não abriram à hora prevista (07:00), constatou o correspondente Arcénio Sebastião. Muitos dos eleitores que marcaram lugar nas filas para votar logo pela madrugada dizem estar cansados de esperar e alguns já abandonaram os postos de votação. 

09:54 Balanço das autoridades até agora: Apesar das multidões e de problemas localizados, o processo decorre sem incidentes relevantes. "A abertura [das mesas de voto] foi caracterizada por enchentes na maioria das mesas de voto", referiu o porta-voz do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE), Cláudio Langa, numa declaração difundida pela Televisão de Moçambique (TVM). 

Mosambik Wahlen in Tete

A grande afluência durante as primeiras horas é habitual nas eleições em Moçambique

09:42 Em Nampula, o cabeça-de-lista do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Fernando Bismarque, votou  na Escola Primária Completa de Napipine. E apelou a todos os munícipes que exerçam o seu direito de voto para "poderem contribuir para o desenvolvimento da cidade".

Também já votaram os cabeça-de-lista da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), Amisse Cololo, do Partido Humanitário de Moçambique (PAHUMO), Filomena Mutoropa, e Associação Moçambicana de Amor Justiça, Paz e Solidariedade (AMAJPS), Castro Niquina.

Fernando Bismarque

Fernando Bismarque já votou em Nampula

09:31  O cabeça de lista da FRELIMO na cidade de Maputo, Eneas Comiche, acaba de exercer o seu direito de voto. O veterano disse à imprensa que se sentia feliz por ter votado e que estava "absolutamente confiante" na vitória. Eneas Comiche apelou aos eleitores que ainda não votaram para o fazerem e exortou também para "eleições pacíficas e ordeiras".

09:25 Na Beira, os cabeças de lista concorrentes à autarquia no centro do país já votaram. Manuel Bissopo, da RENAMO votou às 07:22 na Escola Secundária Mateus Sansão Mutemba. Augusta Maita, da FRELIMO, depositou o seu voto às 07:43 na Escola Secundária de Ponta Gea. E Daviz Simango, do MDM, votou pelas 08:40 na Universidade Zambeze, no bairro de Macuti. E todos se mostram confiantes na vitória, diz o correspondente Arcénio Sebastião, que está a acompanhar o escrutínio.

09:11 Em Quelimane, capital provincial no centro do país, a agitação marcou as primeiras horas de votação na Escola Primária de Coalane, relata o correspondente da DW Marcelino Mueia.

Assistir ao vídeo 01:01
Ao vivo agora
01:01 min

Autárquicas: Agitação durante votação de Manuel de Araújo

Foi aqui que votou o cabeça de lista da RENAMO, Manuel de Araújo, cujo nome não constava na lista de eleitores. Na mesma lista, faltavam também os nomes de mais de 300 eleitores – que tiveram de voltar a casa sem votar. Manuel de Araújo lamenta os "indícios de fraude".

09:00 O Presidente Filipe Nyusi foi um dos primeiros eleitores a exercer o seu direito de voto na Escola Secundária Josina Machel, em Maputo. "O processo de votação valoriza a nossa moçambicanidade", disse o chefe de Estado, sublinhando que esta é uma ocasião única para os munícipes "escolherem o que querem". Saudando os moçambicanos que entendem que "o país só pode ser dirigido por pessoas da opção deles", Filipe Nyusi apelou ainda aos cidadãos que já exerceram o seu direito de voto para aguardarem com serenidade a divulgação dos resultados.

Ouvir o áudio 00:24
Ao vivo agora
00:24 min

Nyusi: "Agora é o momento de esperar com calma"

08:50 Na capital, Maputo, a votação teve início à hora marcada. As mesas das assembleias de voto registam longas filas de pessoas que aguardam a sua vez para votar, relata o correspondente da DW em Maputo, Leonel Matias. O processo está a decorrer de forma ordeira e não há registo de incidentes.

08:37 O governador de Tete, Paulo Auade, foi o primeiro a votar, seguido do cabeça de lista da FRELIMO, César de Carvalho, que apelou à afluência em massa dos eleitores.

08:28 Longas filas também marcam as primeiras horas de votação na cidade de Tete. O correspondente da DW Amós Zacarias efetuou uma ronda por várias mesas de votação e encontrou muita gente à espera de exercer o seu direito cívico. 

Mosambik Wahlen in Tete

Longas filas para votar em Tete desde cedo

08:20 O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) instalou 5.459 assembleias municipais em todo o país e recrutou 38.213 membros de mesas de voto para o escrutínio desta quarta-feira. Os eleitores podem consultar os dados do seu registo eleitoral neste link:

08:12 A votação decorre a bom ritmo na cidade de Pemba, segundo o correspondente da DW Delfim Anacleto. O primeiro eleitor a exercer o seu direito de voto foi o governador provincial, Júlio José Paruque, na Escola Secundária de Pemba. O governador apelou a todos os intervenientes no processo eleitoral em curso para manterem a calma  e aguardarem os resultados nas respetivas residências. E mostrou satisfação pela "participação da juventude estreante".

Mosambik Pemba Wahlen

Escola Secundária de Pemba

Na província de Cabo Delgado, 253.217 eleitores escolhem os novos órgãos diretivos de Chiure, Mocímboa da Praia, Montepuez, Mueda e Pemba.

08:00 Já se vota há uma hora em Moçambique. Apenas os três partidos com assento parlamentar - FRELIMO, RENAMO e MDM - concorrem em todos os municípios.Diretores distritais e vereadores da FRELIMO presidem mesas de voto em Tete

07:48 O Presidente da República, Filipe Nyusi, apelou à participação em massa dos eleitores: "É momento de os moçambicanos mais uma vez mostrarem ao mundo o seu civismo e de forma ordeira reafirmarem a sua determinação para a consolidação do poder democrático em Moçambique."

Mosambiks Präsident Filipe Nyusi

Chefe de Estado Filipe Nyusi

07:39 Na Escola Primária Completa da Cerâmica, também na cidade de Nampula, os agentes da polícia estão a menos de cinco metros, contra os 300 metros recomendados por lei. "Não estão a reprimir os cidadãos, mas isso está a criar algum receio entre os eleitores", diz o correspondente Sitoi Lutxeque.

07:30 Em Nampula, no norte do país, o início da votação está a ser caraterizado por "grandes enchentes" e longas filas. O correspondente da DW Sitoi Lutxeque já passou pela Escola Primária Completa de Mutita, na periferia da cidade, onde estão instaladas sete assembleias de votos. "Não há desordem", relata.

Mosambik Lokalwhalen Nampula

Eleitores acordaram cedo para votar na Escola Primária de Mutita

07:20 E no dia das eleições autárquicas, a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) é de céu pouco nublado no centro e no norte.

07:09 Hoje é feriado nos 53 municípios que vão a votos. Uma medida que "visa essencialmente combater a abstenção", explicou à agência Lusa Alfredo Gamito, antigo ministro da administração Estatal. Em outubro de 2013, nas últimas eleições autárquicas em Moçambique, a abstenção foi de 54,44%. Em 2014, nas presidenciais e legislativas, foi de 51,51%.

07:00 As urnas já abriram em Moçambique. Perto de quatro milhões de eleitores são chamados a escolher os presidentes dos municípios moçambicanos e respetivos membros das assembleias. No quinto escrutínio autárquico na história do país participam cerca de 20 partidos políticos, coligações e grupos de cidadãos concorrentes.

Leia mais

Links externos

Áudios e vídeos relacionados