Filme que retrata ataque terrorista no Quénia nomeado para os Óscares | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 25.01.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Filme que retrata ataque terrorista no Quénia nomeado para os Óscares

“Watu Wote”, da alemã Katja Benrath, está nomeado para Melhor Curta Metragem nos Óscares deste ano. O filme retrata a solidariedade vivida entre muçulmanos e cristãos durante um ataque do Al Shabaab a um autocarro.

Um filme produzido no Quénia, inspirado no ataque terrorista a um autocarro em Mandera, em dezembro de 2015, foi nomeado para a nonagésima edição dos Óscares, que se realiza a 4 de março em Los Angeles.  "Watu Wote- All of us” está nomeado para melhor Curta-Metragem e é um projeto de três estudantes alemães, dirigido por Katja Benrath.

Inspirada numa história verídica, a ação de "Watu Wote” – que significa em suaíli "Todos nós” - desenrola-se, na véspera de Natal, numa área tomada pelos terroristas islâmicos, perto da fronteira com a Somália. Durante uma viagem de autocarro, os passageiros são surpreendidos pelos militantes do Al Shabaab que os forçam a deixar a viatura e a dividir-se em grupos: muçulmanos para um lado e cristãos para o outro. Já fora do autocarro, os passageiros recusam-se a fazer esta divisão, mesmo depois dos terroristas já terem morto a tiro algumas pessoas.

Nomeação surpresa

Com vinte e dois minutos, este é um filme dirigido pela alemã Katja Benrath e que já venceu prémios em mais de 40 festivais de cinema em todo o mundo. Ainda assim, Antony Ndungu, um dos atores que interpretou o papel de um dos homens do Al Shabaab, afirma que a equipa ficou surpresa com a nomeação para os Óscares.

Ouvir o áudio 02:53
Ao vivo agora
02:53 min

Filme que retrata ataque terrorista no Quénia nomeado para os Óscares

"Era um filme produzido por estudantes de Hamburgo, pensámos que seria um filme pequeno que iria passar em festivais e por isso ficámos surpresos”, conta o ator. Apesar de terem já vencido vários prémios internacionais, "ser nomeados para os Óscares superou as expetativas”, acrescenta.

O ator, que interpretou também o papel principal numa das radionovelas do Learning by Ear -Aprender de Ouvido da DW, espera agora que a exposição que o filme terá com esta nomeação para os Óscares faça com que a mesma história possa ser contada, com mais detalhes, numa longa-metragem.

Antony Ndungu afirma ainda que para além de "comovente”, a história de "Watu Wote” é "muito relevante” pois retrata um dos grandes problemas atuais do Quénia, a segurança. Ainda mais, nesta parte do país, onde sucedem "explosões e ataques de granada”. "Esperamos que este filme sirva pelo menos para o Governo fazer algo. Depois dos ataques, nunca acontece nada. A segurança tornou-se um problema muito importante e tem-se estado a deteriorar no país”, afirma.

Filme "autêntico”

Katja Benrath holt Gold bei den Studenten-Oscars (picture-alliance/dpa/M. Petit/AMPAS/Oscars.org)

Katja Benrath dirigiu "Watu Wote"

Nas palavras de Katja Benrath, "Watu Wote” é um filme "autêntico” e que pretende sensibilizar os espetadores. Durante a sua viagem de prospeção ao Quénia, Katja Benrath e sua equipa conversaram com testemunhas do ataque, jornalistas e artistas quenianos. Só depois surgiu o guião. No seu site, a diretora da curta-metragem explica que o seu objetivo é "contar histórias de maneiras diferentes”. O que mais desejo é poder ser uma ajuda levando esta história ao mundo junto com as pessoas que a viveram ou vivem todos os dias”, lê-se.

Juntamente com Felix Striegel, Julia Dragon, Tobias Rosen e uma equipa de cinema queniana, Benrath produziu "Watu Wote". Esta é já a sua sexta curta-metragem. As filmagens decorreram em 2016 em Nairobi, Mwingi e Magadi durante 11 dias.

Leia mais

Links externos

Áudios e vídeos relacionados