Ex-presidentes da FIFA e UEFA vão ser julgados por ″gestão danosa″ | NOTÍCIAS | DW | 13.04.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Ex-presidentes da FIFA e UEFA vão ser julgados por "gestão danosa"

Os antigos presidentes da FIFA e da UEFA, Joseph Blatter e Michel Platini, respetivamente, vão ser julgados entre 08 e 22 de junho, na Suíça, no âmbito de suspeitas de fraude.

Joseph Blatter (esq.) e Michel Platini

Joseph Blatter (esq.) e Michel Platini

Joseph Blatter, que liderou a FIFA entre 1998 e 2015, agora com 86 anos, e Michel Platini, presidente da UEFA entre 2007 e 2016, e uma "estrela" na década de 1980 da seleção francesa e da Juventus, de 66 anos, enfrentam acusações de fraude, "gestão danosa, abuso de confiança e falsificação de documentos".

São suspeitos de terem combinado o pagamento ilícito de dois milhões de francos suíços (1,8 milhões de euros) por parte da FIFA ao então dirigente máximo da UEFA.

Platini terá recebido a quantia em 2011, alegadamente por serviços prestados como conselheiro de Blatter entre 1998 e 2002. Ambos justificaram o pagamento tardio com a impossibilidade das finanças da FIFA da altura pagarem remunerações tão elevadas como as acordadas.

Multa ou até cinco anos de prisão

O caso já foi julgado nas instâncias desportivas, tendo Blatter, que renunciou à presidência da FIFA em 2015, sido suspenso por seis anos de qualquer atividade ligada ao futebol, por "abuso de posição", "conflito de interesses" e "má gestão". Platini recebeu uma punição de quatro anos.

Segundo a legislação suíça, a fraude simples tem uma moldura penal de até cinco anos de prisão ou uma punição pecuniária.

FIFA: Campeonato do Mundo a cada dois anos?

Leia mais