Ewuare I: O Rei do bronze do Benim | História de África - Raízes Africanas | DW | 01.09.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

História de África

Ewuare I: O Rei do bronze do Benim

"Euare, o Grande", como também é conhecido, é recordado pelos seus poderes místicos e por ter promovido como ninguém até à data as artes e as figuras de bronze, que resistiram ao teste do tempo.

Nascimento: O Rei Ewuare, também conhecido como Obá (Rei) Ewuare, o Primeiro ou Ewuare, o Grande, governou o antigo Reino do Benim entre 1440 e 1473. Ewuare tornou-se Obá do Benim depois de derrubar violentamente o seu irmão Uwaifiokun num golpe que deixou grande parte da Cidade do Benim em ruínas. Ewuare I conseguiu reconstruir a cidade e transformá-la mais tarde num dos maiores e mais conhecidos impérios da África Ocidental.

Como era o governo de Oba Ewuare?

Durante o reinado de Ewuare, a capital do Benim era bem organizada e servia uma enorme população. Diz-se que ele construiu nove entradas para o Benim e supervisionou a construção de muitas estradas. A tradição oral descreve o rei como um mágico sábio, médico e guerreiro.

Reconhecido por: A expansão das artes do Benim continua a ser um dos legados chave do Rei Ewuare I. O Obá convidou artesãos para conhecerem a cidade e encorajou-os a produzir peças de arte de qualidade. Além disso, introduziu a criação de cabeças de bronze em homenagem aos reis falecidos do Benim - obras históricas que continuam, nos dias que correm, a ser muito apreciadas nos museus da Nigéria e de todo o mundo. A promoção das artes por parte de Ewuare levou ao estabelecimento de uma indústria de sucesso notável no país: a produção de obras de marfim, madeira e bronze, que resiste até à data.

Como era fomentada a cultura durante o reinado de Ewuare?

Oba Ewuare criou o festival de Igue, que continua a ser um dos eventos culturais mais importantes do povo do Benim, e foi também o responsável pela introdução na cultura do país das missangas de coral, que acabaram por se tornar peças fundamentais do traje cultural do país e da decoração real. Graças ao Obá Ewuare, a utilização destas missangas de coral deixou de ser algo exclusivo da Cidade do Benim e foi-se difundido por várias partes do sul da Nigéria.

Legado: Ewuare o Grande é frequentemente referido como o primeiro Obá do Benim, não porque foi o primeiro a governar o Reino do Benim, mas porque foi o primeiro Obá a mudar a história. Herdou um pequeno reino, mas conseguiu expandi-lo significativamente. A medida administrativa que introduziu para assegurar uma transição pacífica de poder no reino continua a ser um legado até à data. A introdução da regra da primogenitura - ou seja, a sucessão obrigatória do trono do pai para o primeiro filho - pôs fim às lutas de poder de outros tempos.

African Roots | Oba Ewuare 3

"Euare o Grande", como também é conhecido, é recordado pelos seus poderes místicos

Em entrevista à DW, Abolade Adeniji, professor de História na Universidade Estatal de Lagos,  afirma que o "Benim nunca mais foi o mesmo desde que Ewuare I saiu. Pode-se falar da história do Benim antes e depois de Ewuare, o Primeiro. Ele chegou, estabilizou o reino e introduziu algumas mudanças administrativas."

Uma das mais importantes, frisa o historiador, foi que um rei seria sucedido obrigatoriamente pelo seu primeiro filho. Isto porque, até aqui, não existiam parâmetros claros para a sucessão do trono, o que acabava sempre por originar conflitos entre rivais.

Este novo sistema, explica Abolade Adeniji, trouxe grandes "vantagens em termos de estabilidade". "Sempre que morria um rei, iniciava-se uma guerra entre os chamados príncipes qualificados. Ele próprio sentiu isso na pele quando o irmão lhe usurpou o poder... Por isso, do ponto de vista da estabilidade, esta medida tem uma vantagem muito grande e a verdade é que sobrevive até hoje, inquebrável, é inacreditável", nota.

Outro grande legado deixado por Ewuare é a promoção das artes do Benim. "Ele promoveu as artes, a escultura, o marfim, as peças fundidas em bronze… na realidade ele encorajou os artistas tradicionais a produzir. E com o seu incentivo, eles deram o seu melhor. Alguns dos produtos que foram criados nessa altura permanecem até aos dias de hoje", acrescenta.

African Roots | Oba Ewuare 6

Foi Eware I que introduziu, no Benim, as famosas cabeças de bronze

Uma das artes mais conhecidas do Benim e que resiste até hoje é a fundição em bronze. Também o desenvolvimento desta arte teve o dedo deste Obá. Eric Osamudiamen Ogbemudia  é um dos artistas do país e, em entrevista à DW,  diz ser notável que as habilidades tradicionais promovidas por Obá Ewuare há mais de cinco séculos tenham resistido ao teste do tempo.

"Ele criou uma avenida para que as obras de arte do Benim fossem conhecidas. Se ele não tivesse aberto esse capítulo talvez as obras de arte ou artefactos do Benim não tivessem ficado conhecidas em todo o mundo", conclui.

O Rei Ewuare continua bem presente na mente do povo beninense. Prova disso é que o atual "Rei" intitula-se "Obá Ewuare, o Segundo", o que mostra vontade em continuar o legado deixado por "Obá a Ewuare, o Grande".

O parecer científico sobre este artigo foi dado pelos historiadores Lily Mafela, professor Doulaye Konaté e professor Christopher Ogbogbo. O projeto "Raízes Africanas" é financiado pela Fundação Gerda Henkel.

Assistir ao vídeo 02:46

Ewuare: Rei do Bronze do Benim

Leia mais