Contrabando de combustível pode ter causado derrame em Cabo Delgado | Moçambique | DW | 03.08.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Contrabando de combustível pode ter causado derrame em Cabo Delgado

É o que diz o relatório preliminar da equipa multissetorial que investiga o derrame de combustível na baía de Pemba, província de Cabo Delgado.

A equipa multissetorial que esteve à frente das investigações conclui, num relatório preliminar, que os 5.000 litros de gasóleo podem ter sido derramados no sábado (31.07) por contrabandistas.

Segundo Moisés Paulino, diretor Nacional de Hidrocarbonetos e Combustíveis, "o grupo de trabalho descartou automaticamente a hipótese de a descarga ter sido provocada por uma fuga na tubagem que transporta combustível do porto de Pemba até à infraestrutura de armazenamento da [petrolífera estatal] Petromoc."

Para já, a possibilidade aventada pela equipa multissetorial é "contrabando", embora Moisés Paulino refira que ainda "não se pode avançar com segurança a verdadeira causa do incidente".

Embarcação suspeita

Tripulantes de uma embarcação vista a circular junto ao porto de Pemba na madrugada anterior ao derrame estão a ser investigados pelo Serviço Nacional de Investigação Criminal, por suspeita de ligação ao caso.

"Uma lancha de seis toneladas foi vista de madrugada naquele local", afirmou o administrador marítimo de Pemba, Tauacale Avelino.

Mosambik Ölgewinnung am Strand

Vários populares tentaram recolher combustível (misturado com água salgada) que deu à costa

"Nós identificámos essa embarcação e, junto com os colegas do SERNIC [Serviço Nacional de Investigação Criminal], vamos direcionar os proprietários dessa embarcação para dizerem o que estavam a fazer naquele local àquela hora. Estamos a viver na nossa província num tempo atípico, e é interdita a navegação noturna."

O relatório preliminar da equipa multissetorial avança também que não foram encontrados indícios de contaminação das águas do mar na sequência do derrame de combustível. A equipa diz que, durante os trabalhos de investigação, não foram vistos quaisquer animais mortos ou a flutuar num raio de trezentos metros do local.

Mas o relatório recomenda à Agência Nacional para o Controlo da Qualidade Ambiental (AQUA) que faça análises laboratoriais das amostras de água para verificar possíveis efeitos adversos.

Entretanto, os mototaxistas estão preocupados com a possível utilização de combustível misturado com água do mar, que os populares extraíram após o derrame no sábado. A equipa multissetorial assegura que o SERNIC está a seguir o rasto do combustível, para que não seja comercializado.

Assistir ao vídeo 10:34

Quem paga com a destruição dos mangais em Moçambique?

Leia mais