As riquezas não são para todos | Recursos naturais em África - O que sobra do boom? | DW | 16.01.2013

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Recursos naturais

As riquezas não são para todos

Depois dos tigres asiáticos, chegou a hora dos leões africanos. O crescimento destes países é impulsionado principalmente pelas exportações de recursos naturais como cobre, níquel, diamantes, ouro, petróleo e gás.

Minas de Moatize

Minas de Moatize

Depois dos tigres asiáticos, chegou a hora dos leões africanos. O crescimento destes países é impulsionado principalmente pelas exportações de recursos naturais como cobre, níquel, diamantes, ouro, petróleo e gás.

Alguns países, como Angola, que produz petróleo, registam taxas de crescimento anuais de mais de 20%. Outros só recentemente o conseguiram. Moçambique, por exemplo, está no bom caminho para se tornar num dos maiores produtores de carvão e de gás do mundo. África está a crescer muito, enquanto a economia mundial luta contra a escassez de recursos.

Ao mesmo tempo, o boom dos recursos naturais torna as economias africanas vulneráveis. Elas dependem do mercado mundial, das flutuações de preços e da procura. Danos ambientais, corrupção ou conflitos sobre a distribuição de recursos são alguns dos efeitos colaterais da nova riqueza. Anulará a “maldição dos recursos” desenvolvimentos importantes? O que sobra do boom dos recursos naturais para os países africanos e as suas populações? Os repórteres da DW foram à procura de respostas.

Leia mais