Aquacultura gera empregos em Moçambique | Moçambique | DW | 16.06.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Aquacultura gera empregos em Moçambique

Projeto de Promoção de Aquacultura de Pequena Escala está a ser implementado em Sofala e Manica e deve ser base para desenvolvimento do setor. Beneficiários falam em melhorias financeira e alimentar.

Mosambik Projekt zur Förderung der Aquakultur (ProAQUA)

Tanques piscícolas do projeto ProAQUA

O Governo moçambicano, através do Fundo Internacional de Desenvolvimento de Agricultura (FIDA), está a investir 3,4 milhões de dólares norte-americanos para potenciar a criação de peixes em tanques.

A iniciativa, que foi lançada em 2014 e termina em novembro deste ano, está a ser implementada nos distritos de Gondola, Macate, Mossurize e Sussundenga, na província de Manica, e Gorongosa, em Sofala.

Lebson Tsanguirene, beneficiário do Projeto de Promoção de Aquacultura de Pequena Escala (ProAQUA), no distrito de Gondola, disse beneficiar da iniciativa que visa a comercialização de peixes, porque está a ajudar no combate à pobreza.

Mosambik Projekt zur Förderung der Aquakultur (ProAQUA)

Jossino Rafael, criador de peixes em Mossurize

"Para abertura dos tanques, os responsáveis do setor ajudaram-nos com material - como pás, enxadas, picaretas, e carrinha de mão - bem como na formação sobre a criação de peixes e suas vantagens," descreveu.

"Para nós a iniciativa está a ajudar-nos muito, porque estamos a melhorar a nossa dieta alimentar para além de arrecadarmos algum rendimento familiar", revelou.

Outro criador de peixes em tanques piscícolas em Mossurize, Jossino Rafael, enalteceu o esforço do Governo moçambicano com a implentação do projeto, visto a situação financeira e alimentar dos associados ter melhorado sensivelmente.

"O trabalho que estamos a fazer é de promover a piscicultura no distrito de Mossurize e o que se espera é melhorar a vida da comunidade e a dieta alimentar. Na associação Pasi ne Nzara, contamos com 42 tanques e ela é composta por 40 membros. Recebemos 10.500 alevinos [peixes que acabaram de deixar a fase de larva] e esperamos produzir uma tonelada e 92 quilos, dependendo do ciclo," explicou.

Ouvir o áudio 02:42

Aquacultura para combater pobraza em Moçambique

Apoiar as famílias e desenvolver o setor

Já o diretor provincial do Mar, Águas Interiores e Pescas de Manica, Juvêncio Rosário Quim, disse que os piscicultores têm estado a receber kits de iniciação, apoio técnico, fornecimento de ração para os alevinos, para além de formação para as comunidades, visando torná-las auto-suficientes na produção do peixe.

"É um projeto financiado em 87% pela União Europeia através do FIDA e o restante é contribuição do Governo de Moçambique, para desenvolver aquacultura de pequena escala e apoiar as famílias moçambicanas a desenvolver esta atividade que é importante para a segurança alimentar e nutricional," explicou.

"O projeto visa desenvolver aquacultura na província de Manica, apoiar as famílias que praticam essa atividade," concluiu Rosário Quim.

Mosambik Projekt zur Förderung der Aquakultur (ProAQUA)

Juvêncio Rosário Quim, diretor provincial do Mar, Águas Interiores e Pescas de Manica

Por seu lado, o diretor-geral do Instituto Nacional de Desenvolvimento da Pesca e Aquacultura, Fernando Momade, explicou que os resultados obtidos até então são encorajadores, atendendo que se trata de um projeto-piloto que está a servir de base para ajudar na definição do modelo de intervenção para o desenvolvimento da aquacultura em Moçambique.

Esse é um projeto que tinha que nos ajudar naquilo que é a estratégia para promover o desenvolvivento da aquacultura do país. A partir destes resultados, vamos definir o projeto de implementação

Refira-se que abertos desde 2014, ano em que foi lançado o projeto, até o momento, já foram abertos 1.113 tanques piscícolas, dos quais 312 em Gorongosa - onde foram produzidas pouco mais de 102 toneladas de peixe.

Leia mais