Angola: Operação Resgate encerra centenas de igrejas e locais de culto | Angola | DW | 31.05.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: Operação Resgate encerra centenas de igrejas e locais de culto

Em sete meses, foram encerradas centenas de igrejas e locais de culto, e foram detidos milhares de cidadãos.

As autoridades angolanas apreenderam 85,9 milhões de kwanzas (mais de 230 mil euros) e 482.958 dólares (433 mil euros) no âmbito da "Operação Resgate", que decorre desde novembro em Angola com o objetivo de "repor a autoridade do Estado".

Segundo um relatório citado esta sexta-feira (31.05) pelo Jornal de Angola, a comissão interministerial que superintende a operação encerrou também, em sete meses, 1.011 igrejas, 1.297 locais de culto e deteve 7.585 cidadãos entre angolanos e estrangeiros.

"Mais força"

A "Operação Resgate" tem, segundo as autoridades, como propósito o combate à venda ambulante desordenada, às transgressões administrativas e à imigração ilegal, bem como ordenar a circulação rodoviária, entre outros aspectos.

O documento observa que no quadro das ações realizadas nesse período, foram também encerrados 946 estabelecimentos comerciais, 568 cantinas, 164 farmácias, 194 unidades de saúde, 98 oficinas, 17 supermercados, sete restaurantes e três indústrias.

Foram ainda desativados 629 pontos de venda ambulante, 314 áreas de venda de acessórios de viaturas, 283 mercados e seis postos de câmbio de moeda.

Em janeiro, o comandante-geral da Polícia Nacional de Angola, Paulo Gaspar de Almeida, assegurou que a "Operação Resgate" iria continuar "com mais força", porque o país "precisa de ordem porque estava a caminhar para uma anormalidade".

Leia mais