Angela Merkel: Coronavírus é ″o maior desafio desde a II Guerra Mundial″ | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 18.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Angela Merkel: Coronavírus é "o maior desafio desde a II Guerra Mundial"

Evitar a propagação do novo coronavírus "depende de todos", apelou a chanceler alemã. Angela Merkel pediu hoje à população um esforço conjunto de solidariedade na luta contra "o maior desafio desde a II Guerra Mundial".

"A situação é grave e é preciso que levem isto a sério. Não existia um desafio como este desde a reunificação alemã - não, desde a II Guerra Mundial - que dependa tanto da nossa ação conjunta de solidariedade", disse a chanceler feferal, no seu primeiro apelo direto à nação na televisão.

Angela Merkel apelou aos cidadãos para cumprirem as regras sem precedentes que restringem a vida pública, acordadas com os 16 estados federados no início desta semana, frisando que tudo o que possa ser um risco deve ser reduzido ou mesmo evitado. "Poderemos sempre reavaliar o que pode ser corrigido, mas também o que ainda pode ser necessário", acrescentou.

É preciso que não existam exceções, acrescentou, porque evitar a propagação do novo coronavírus "depende de todos". Merkel garantiu também às empresas que o governo tudo fará para minimizar o impacto económico da pandemia. "Podemos e usaremos o que for preciso para ajudar os nossos empresários e os trabalhadores neste difícil teste", assegurou. 

"Armazenar, mas com moderação"

A líder do executivo alemão tentou também tranquilizar os cidadãos a respeito das preocupações com a escassez de alimentos, revelando que não vão faltar nos supermercados. "Armazenar faz sentido, mas com moderação", indicou, "açambarcar como se não houvesse mais nada é insensato", descreveu. 

Depois de várias reuniões, Angela Merkel anunciou na passada segunda-feira um novo pacote de medidas, que se juntam ao encerramento das escolas e jardins-de-infância de todo o país, pelo menos até 19 de abril. "Estas são medidas que nunca tivemos neste país, que são graves, mas são necessárias nesta altura para reduzir o número de contactos e, portanto, o número de infeções", declarou na altura a chanceler alemã em conferência de imprensa. 

Deutschland Berlin | Coronavirus | Ansprache Angela Merkel, Bundeskanzlerin

Angela Merkel: "Evitar a propagação do novo coronavírus depende de todos"

O Governo federal quer que todos os bares, discotecas, cervejarias e pubs estejam de portas fechadas, assim como teatros, óperas, salas de concerto, museus, feiras, exposições, cinemas, parques de lazer e de animais. 

"A regra é que as capacidades de acomodação na Alemanha só podem ser usadas para estadias noturnas necessárias e não para fins turísticos", acrescentou Merkel aos jornalistas, adiantando que os restaurantes do país só podem estar abertos até às 6 da tarde e respeitando o espaço de 1,5 metro entre cada mesa. 

Hotéis e grandes salões transformados em hospitais

O Governo também anunciou esta quarta-feira (18.03) que a Alemanha vai transformar hotéis e grandes salões em hospitais para aumentar a capacidade de acolhimento dos serviços de cuidados intensivos a doentes infetados pelo novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19

A entrada em funcionamento destas estruturas provisórias "deverá permitir aos hospitais que se concentrem na ampliação das suas capacidades em cuidados intensivos", precisou o Executivo alemão em comunicado.

De acordo com os dados oficiais fornecidos pelo Instituto Robert Koch (RKI), entidade responsável pela prevenção e controlo de doenças, há 8.198 casos de Covid-19 na Alemanha e 12 mortes registadas. 

Assistir ao vídeo 01:05

Como se prevenir contra o coronavírus

Leia mais