1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Alemães dos sudetos abandonam a Tchecoslováquia, em setembro de 1938Foto: AP

Tchecos dispostos a ceder na questão dos alemães dos sudetos

(av)
22 de maio de 2002

Os decretos que expulsaram os alemães dos sudetos, a partir de 1945, abalam as relações teuto-tchecas e podem afetar a admissão da República Tcheca à UE.

https://www.dw.com/pt-br/tchecos-dispostos-a-ceder-na-quest%C3%A3o-dos-alem%C3%A3es-dos-sudetos/a-525482

O governo da República Tcheca deseja evitar um conflito aberto com Berlim, na questão dos alemães dos sudetos. Esta declaração de diplomatas tchecos nesta quarta-feira (22), em Praga, ameniza o tom ríspido com que ambos os lados vinham tratando da questão, nos últimos dias.

Do ponto de vista do governo alemão, a desapropriação sumária e expatriação dos alemães dos sudetos da antiga Tchecoslováquia, após a Segunda Guerra Mundial, constituiu uma transgressão ao direito internacional. Como já declarara o chanceler federal, Gerhard Schröder, numa solenidade há dois anos, os controvertidos decretos Benes, que determinaram a expulsão dos alemães dos sudetos, não têm mais validade. Assim como os governos anteriores, a atual coalizão apóia os pedidos individuais de indenização de firmas e pessoas expatriadas e de seus descendentes.

Por sua vez, o Parlamento Europeu apelou à República Tcheca para que adeqüe suas leis nacionais à legislação européia. Caso delas ainda constem "formulações discriminatórias" – como, por exemplo, os decretos Benes –, estas deverão ser eliminadas da legislação tcheca, o mais tardar, até sua filiação à UE.

O premiê tcheco, Milos Zeman, considerou "aceitável" o termo de compromisso, proposto pelo Parlamento Europeu após aprovação unânime. Contudo, uma pesquisa de opinião demonstrou haver crescido o número dos tchecos contrários à entrada de seu país na UE, devido à polêmica em torno dos decretos Benes. Para a maioria dos entrevistados, a questão é mais importante do que as conseqüências dos atentados de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos.

Apesar da celeuma em torno de seus decretos discriminatórios, o ex-presidente tcheco Eduard Benes foi postumamente homenageado nesta quarta-feira, em Praga, com a Ordem do Leão Branco.