1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto: picture-alliance/dpa/G. Amador

EUA registram primeiro caso de vírus zika

12 de janeiro de 2016

Após viajar pela América Latina, homem morador do Texas é primeiro caso confirmado nos Estados Unidos. Autoridades de saúde afirmam que estado americano tem condições ideiais para a proliferação da doença.

https://www.dw.com/pt-br/eua-registram-primeiro-caso-de-v%C3%ADrus-zika/a-18974766

Autoridades de saúde do Texas confirmaram, nesta terça-feira (12/01), o primeiro caso de vírus zika nos Estados Unidos. O homem mora no condado de Harris e havia visitado a América Latina, incluindo Salvador, na Bahia, recentemente.

Um dos diretores do Texas Children's Hospital, Peter Hote, afirmou ao site Medscape que o caso provoca preocupação porque o estado americano possui as condições ideais para o desenvolvimento do mosquito transmissor, o Aedes aegypti.

"Há uma tempestade perfeita se formando que pode proliferar o vírus no Texas. Temos duas espécies de mosquito que pode transmiti-la [a doença] e altos níveis de pobreza que levam a viver em ambientes não sadios, perto de água parada", ressaltou Hote.

Em adultos, o vírus provoca sintomas mais leves que a dengue e a chicungunha – também transmitidas pelo Aedes aegypti. Os sintomas clássicos são febre, dores no corpo e manchas na pele.

Em novembro de 2015, o Ministério da Saúde brasileiro confirmou a relação entre o vírus zika e casos de microcefalia em bebês. Por causa do aumento de casos de zika, as autoridades dos EUA aconselham seus cidadãos a tomar cuidados adicionais com a doença no Brasil, como uso de repelentes, e pedem que as grávidas adiem viagens à América Latina.

PV/abr/ots