OMS: Casos de Covid-19 atingem novo recorde diário | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 22.06.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

OMS: Casos de Covid-19 atingem novo recorde diário

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou domingo um novo recorde do aumento diário de novos casos de coronavírus. A Guiné-Bissau mantém-se como o PALOP mais afetado pela pandemia. Moçambique regista quinta morte.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou, esta segunda-feira (22.06), que o aumento diário de novos casos de coronavírus bateu, no domingo (21.06), um novo recorde. Segundo a organização, foram registados em todo o mundo mais 183 mil casos de infeção.

O maior aumento de casos aconteceu no Brasil, com mais 54 mil novas infeções, seguido dos EUA, que reportaram 36 mil novos casos, e da índia, que registou cerca de 15 mil.

Especialistas dizem que este aumento pode dever-se não só ao aumento do número de infeções, mas também a um aumento mais generalizado da testagem para a Covid-19.

O número de mortos em África devido à Covid-19 chegou aos 8.115, mais 190 nas últimas 24 horas, e há um total de 306.567 infetados, segundo os dados mais recentes sobre a pandemia no continente. 

Quinto óbito em Moçambique

Também os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) contribuíram para este aumento de casos. Moçambique, por exemplo, registou, este domingo (21.06), a quinta morte e 45 novos casos de Covid-19, elevando o total de 688 para 733. Destes, 70 são casos importados.

A vítima de 38 anos, que "possuía outras patologias", estava internada no Centro de Isolamento da Polana Caniço, na cidade de Maputo, e morreu no dia 18 de junho, disse no domingo Armindo Tiago, ministro da Saúde de Moçambique.

Assistir ao vídeo 02:24

Covid-19: Jovem moçambicano usa meios digitais para manter negócio

Os 45 novos doentes, dos quais três são menores de 14 anos, foram registados nas províncias de Maputo (08), Nampula (06), Zambézia (01), Cabo Delgado (22), Gaza (01) e cidade de Maputo (07).

"Eles encontram-se em isolamento domiciliar e decorre neste momento o mapeamento da rede de contacto destas pessoas", acrescentou Armindo Tiago.

Também este domingo (21.06), o ministro declarou a cidade de Pemba, na província de Cabo Delgado, como o segundo ponto com "transmissão comunitária" do vírus no país. O primeiro foi a cidade de Nampula. Segundo explicou o ministro, foi registada na cidade de Pemba "uma elevada percentagem de amostras positivas, que atualmente corresponde a quase o dobro da média nacional."  

O Ministério da Saúde indicou ainda que 181 pessoas estão recuperadas, havendo ainda nove pessoas internadas. A maioria dos casos ativos no país está concentrada nas províncias de Nampula (2018), Cabo Delgado (125) e cidade de Maputo (75).

Angola com novo caso importado

A tendência de aumento de casos regista-se também em Angola e Cabo Verde. Em Angola, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, anunciou ontem (21.06) sete novos casos de Covid-19, o que faz elevar o total para 183 infeções.

No habitual balanço epidemiológico, Mufinda adiantou que dois destes casos são de transmissão local e um é importado. Trata-se de um cidadão norte-americano que chegou ao país no dia 11 de junho e esteve em quarentena, estando a ser estudado o vínculo de transmissão dos restantes.

No total, Angola regista 97 casos ativos, 77 recuperados e nove óbitos.

Cabo Verde com 27 novos positivos

Já Cabo Verde registou, este domingo (21.06), mais 27 casos positivos, 25 dos quais na ilha do Sal, elevando o total acumulado para 890. As ilhas de Santiago mantêm-se como as mais afetadas, com 719 casos. No total, os restantes positivos estão no Sal (98), Boa Vista (57), São Vicente (10), Santo Antão (04) e São Nicolau (02).

Assistir ao vídeo 02:17

Cabo Verde: Doentes e recuperados da Covid-19 sofrem discriminação

Cabo Verde regista ainda oito mortes, enquanto dois doentes foram transferidos para os seus países e 388 foram dados como recuperados pelas autoridades sanitárias.

O país conta neste momento com 493 doentes ativos, que, segundo o Ministério da Saúde, continuam em isolamento institucional mantendo-se estáveis. À exceção de dois que estão em estado grave.

Guiné-Bissau ultrapassa 1500 casos

A Guiné-Bissau é o PALOP com mais casos do novo coronavírus. Conta já com 1.541 casos e 17 mortos, dois dos quais confirmados esta semana, segundo o coordenador do Centro de Operações de Emergência de Saúde (COES) Dionísio Cumba, no anúncio de sexta-feira (19.06). O número de recuperados mantém-se nos 153.

O coordenador do COES disse que há 44 pessoas internadas em três hospitais do país: 31 no hospital de Cumura, seis no Hospital Nacional Simão Mendes e sete, que estão a oxigénio, no hospital de Bor.

Por regiões, Dionísio Cumba disse que o Setor Autónomo de Bissau é o que regista o maior número de infeções por Covid-19 com 1.451 casos, seguido da região de Biombo, com 53, Cacheu, com 26, Bafatá, sete, Gabu, dois, e Oio, dois.

São Tomé e Príncipe regista 693 casos e 12 mortos. O número de pessoas recuperadas aumentou para 199, enquanto dois dos 12 pacientes internados no hospital de campanha tiveram alta, informou a porta-voz do Ministério da Saúde, Isabel dos Santos na sexta-feira (19.06).

Alemanha sobe taxa de infeção

Também na Alemanha, e devido a uma série de novos surtos locais, o ministro da Saúde Jens Spahn, pediu este domingo (21.06) ao Parlamento que reavalie as medidas de contenção da doença em curso no país. A Alemanha registou, este domingo, mais 537 casos positivos e 3 mortes, de acordo com o Instituto Robert Koch, a agência de controlo de doenças do país.

Os novos números elevam o número total de infeções para mais de 190.000, com quase 9.000 vítimas mortais. Embora os números sejam considerados relativamente baixos, a Alemanha registou um pico na taxa de reprodução durante o fim-de-semana, uma vez que foram registados novos focos em todo o país. Vários blocos de habitação estão atualmente sob quarentena rigorosa.

A nível mundial, já foram confirmadas quase 9 milhões de infeções do novo coronavírus e já morreram mais de 467.000 pessoas.