Multinacional de silvicultura entra em Moçambique e garante desenvolvimento social | Moçambique | DW | 20.03.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Multinacional de silvicultura entra em Moçambique e garante desenvolvimento social

Mais uma empresa vai explorar a área florestal em Moçambique. Trata-se da Portucel-Moçambique que está a investir na implementação de um programa de desenvolvimento social na área de sivicultura, no centro do país.

Uma plantação de eucalipto na província do Niassa, norte de Moçambique

Uma plantação de eucalipto na província do Niassa, norte de Moçambique

A Portucel-Moçambique iniciou um programa de investimento para desenvolver um projeto integrado de silvicultura em Moçambique. O Governo de Maputo concedeu mais de 350 mil hectares de terra para plantar eucalipitos, nas províncias centrais de Manica e Zambézia.

A empresa tem um leque de projetos que inclui, além de plantações florestais, a produção de pasta de papel e energia verde. Foram investidos para o efeito cerca de 40 milhões de euros.

O projeto deverá abranger áreas pertencentes a 24 mil famílias. Mas Pedro Moura, da área de projetos da Portucel, deixou uma garantia: "será completamente assegurada a sua terra para continuar a fazer a sua agricultura e as suas atividades tradicionais. Portanto, garantidamente ninguém poderá, na área do projeto, dizer que ficou sem terra".

New Forest-Projekt in Zentral Mozambik Pedro Moura

Pedro Moura, responsável da área de projetos da Portucel

Portucel garante respeito ao ecossistema e as comunidades

A empresa portuguesa comprometeu-se a implementar um inovador modelo de mosaico nas suas plantações de eucalipto, integrando-as nas áreas protegidas do ecossistema moçambicano.

Segundo o presidente do Conselho de Administração da Portucel-Moçambqiue, Diogo da Silveira, as comunidades terão também benefícios neste projeto: "O projeto da Portucel em Moçambique foi concebido de modo a partilhar o fruto dos seus sucessos com as pessoas e com o país, seja através da criação de emprego, de fomento do aparecimento de uma rede empresarial na região, da atuação junto das comunidades, da melhoria de infraestrutura ou ainda o reforço da balança comercial do país."

New Forest-Projekt in Zentral Mozambik

Jin-Yong Cai (esq.) e Diogo da Silveira durante a assinatura do acordo

Financiador satisfeito com a iniciativa

A Cooperação Financeira Internacional (IFC na sigla em Inglês), membro do Banco Mundial, que financia o projeto, acredita que este tem potencial para se tornar num dos maiores investimentos rurais de Moçambique.

Também para o vice-presidente executivo da Cooperação Financeira Internacional, Jin-Yong Cai, o desenvolvimento florestal terá impato positivo para as famílias: “Esta segunda fase do projeto que assinamos visa ajudar as pequenas empresas locais a desenvolver a agricultura, saúde e educação, serviços de extensão rural, acesso aos mercados bem como às micro-empresas.”

A Portucel-Moçambique é subsidiária do Grupo Portucel Soporcel, o maior produtor europeu de papéis finos de impressão e escrita não revestidos e de pasta branqueada de eucalipto.

Ouvir o áudio 02:28

Multinacional de silvicultura entra em Moçambique e garante desenvolvimento social

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados