Moçambique: Sociedade civil na rua contra a Covid-19 | NOTÍCIAS | DW | 13.04.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Moçambique: Sociedade civil na rua contra a Covid-19

ONG nacionais e internacionais sensibilizam os moçambicanos em locais de aglomerados populacionais, como mercados e terminais de Maputo. O objetivo é informar e distribuir máscaras contra o novo coronavírus.

No terminal de transporte semicoletivo de passageiros, no bairro do Albazine, a 20km do centro de Maputo, os motoristas e cobradores recebem máscaras para se protegerem da pandemia de coronavírus. 

A Fundação de Caridade Tzu Chi, associada ao Conselho Económico e Social da ONU, está a distribuir o material. Dino Foi, diretor-executivo da fundação, explica que "são muitas pessoas expostas" naquele local e, por isso, faz-se necessária a ação. 

"Então, hoje [segunda-feira, 13 de abril] estamos aqui preparados para dar em 200 carros que hão de ser mais ou menos 400 máscaras", acrescentou. 

Depois de o Governo ter autorizado o uso massivo da máscara, o motorista de chapa Armindo Macie deixou um aviso aos utentes, após receber o material no terminal do Albazine: "Sem máscara não podem entrar no carro". E assegurou: "Cada viagem que fazemos obrigamos aos utentes a pôr máscara".

Coronavirus Mosambik Maputo NGOs informieren über Covid-19

Distribuição de máscaras no terminal de Albazine, em Maputo

Apelos nos mercados

O CIP, Centro de Integridade Publica, também não tem mãos a medir e está a desencadear campanhas de sensibilização nos mercados da capital.

A organização publicou inclusivamente, na sua página do Facebook, um apelo ao uso massivo de máscaras de fabrico local porque, segundo o diretor-executivo da organização, Edson Cortez, o nível de conhecimento sobre a doença é básico.

"E muitos cidadãos que estão nos mercados, nos aglomerados de pessoas, ainda gozam da probabilidade de essa pandemia atingir-nos nas dimensões que está a atingir países mais desenvolvidos que Moçambique", avaliou Cortez, que acredita que "se deve fazer maior trabalho na prevenção para que as pessoas tenham noção do quão grave é este problema".

Bairros periféricos e zonas rurais

O Fórum Mulher, uma organização de defesa da mulher e rapariga, sentiu a necessidade de incidir as suas campanhas nos bairros periféricos e nas zonas rurais para evitar a propagação da Covid-19.

O trabalho tem sido fácil porque, diz a diretora-executiva da organização, Nzira de Deus, a organização usa o megafone numa viatura, mas não só.

"Formações em grupos restritos junto com o MISAU sobre medidas de prevenção, mas também sobre os cuidados a ter caso se constate que que alguém na família está a padecer desta doença ou apresenta os sintomas", ressaltou a diretora.

Em alguns municípios como Matola, Chimoio, Beira e a capital, Maputo, as autoridades estão a desinfetar locais de aglomerados para evitar a propagação do novo coronavírus, causador da Covid-19.

Leia mais