Moçambique: Países da SADC debatem resposta regional ao terrorismo | Moçambique | DW | 23.06.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Países da SADC debatem resposta regional ao terrorismo

A resposta e o apoio regional no combate ao terrorismo em Cabo Delgado, no norte de Moçambique, estão hoje em debate na cimeira extraordinária da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), em Maputo.

O Presidente do Botsuana e do Órgão de Política, Defesa e Segurança da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), Mokgweetsi Masisi, assegurou já que a organização vai encontrar a melhor forma de ajudar Moçambique a combater o terrorismo.

"Estamos solidários com Moçambique na luta contra o terrorismo e vamos encontrar a melhor forma de ajudar o país a acabar com a guerra e violência", declarou Masisi durante a cerimónia de abertura do fórum de negócios da SADC, que arrancou terça-feira (22.06) em Maputo.

Moçambique e a África Austral devem livrar-se de todas as formas de violência para se concentrarem no desenvolvimento económico e prosperidade dos seus povos, acrescentou. O Presidente do Botsuana defendeu o empenho de todos os estados da SADC visando a integração económica regional, assinalando que a promoção do bem-estar social deve estar no "âmago" da atuação da organização.

Outros temas que serão abordados pelos chefes de Estado e de Governo da organização regional são, segundo uma nota da SADC, a segurança alimentar e nutricional, género e desenvolvimento, bem como progressos alcançados no combate ao VIH/Sida e à pandemia de Covid-19.

Assistir ao vídeo 03:11

Quase um milhão de pessoas em risco de fome severa no norte de Moçambique

"SADC: 40 Anos Construindo Paz e Segurança"

A cimeira vai também avaliar os resultados alcançados na prossecução do lema "SADC: 40 Anos Construindo Paz e Segurança e Promovendo Resiliência Face aos Desafios Globais".

Durante o evento, o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, que preside à cimeira, na qualidade de presidente em exercício da SADC, vai lançar os livros "40 Anos da SADC: Reforçando a Cooperação e a Integração Regionais", "Volume 2 das Histórias de Sucesso da SADC- Moçambique" e "Lutas de Libertação da África Austral", uma obra da autoria de Hashim Mbita, destacado líder tanzaniano e que foi secretário-executivo do Comité de Libertação da Organização da União Africana (OUA), atual União Africana (UA)

Grupos armados aterrorizam a província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, desde 2017, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo jihadista Estado Islâmico, numa onda de violência que já provocou mais de 2.800 mortes segundo o projeto de registo de conflitos ACLED e 732.000 deslocados de acordo com a ONU.

Ainda segundo a ONU, mais de 900.000 pessoas estão sob insegurança alimentar severa em Cabo Delgado e as comunidades de acolhimento estão também a precisar urgentemente de abrigo, proteção e outros serviços.

Leia mais