Moçambique: Ossufo Momade pede que Mariano Nhongo ″regresse à razão″ | NOTÍCIAS | DW | 03.09.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Moçambique: Ossufo Momade pede que Mariano Nhongo "regresse à razão"

O líder do maior partido da oposição está em campanha eleitoral na Zambézia, onde prometeu combater a corrupção caso fosse eleito e apelou à união na RENAMO.

Em vésperas de eleições gerais em Moçambique, o líder da RENAMO, Ossufo Momade apela à união do partido chamando a Mariano Nhongo, líder da Junta Militar, para junto de si e tornar o partido mais unido. Na conferência de imprensa, na tarde desta terça-feira (03.09) na cidade de Quelimane, província central da Zambézia, Ossufo Momade, líder do maior partido da oposição em Moçambique, convidou Mariano Nhongo a juntar-se a ele e fintou as perguntas em relação às medidas que tem para unir o partido.

"Meu irmão, essa sua pergunta eu não gostaria de comentar neste momento porque estamos na campanha, a campanha é uma festa, o Nhongo é um cidadão moçambicano, é da RENAMO. O que nós pedimos a Nhongo é que regresse à razão", disse Momade.

 RENAMO Guerillakämpfer in Gorongosa, Mosambik (DW/A. Sebastiao)

Mariano Nhongo, líder da Junta Militar da RENAMO

Crise interna

No entender de Lourindo Verde, analista político, Ossufo Momade deveria entrar em conversações com Mariano Nhongo, ao invés de se dedicar a campanha política quando há uma ameaça no seio da própria RENAMO.

"Hoje é difícil saber de facto o que é que a tal Junta Militar esta a reivindicar, um líder é aquele que deve conversar. Tem que ouvir perceber o que é que está a acontecer e se for um assunto que tem uma solução, então, dar uma solução. Ele tem que se aproximar ao invés de estar a andar aí de um lado para o outro a saber que o nome dele não é bem vindo pela ala militar que até lhe suporta, ele tinha que antes de mais nada resolver primeiro o conflito que existe internamente para levar a RENAMO a ser de facto um partido da oposição pelo qual nós estamos habituado", explicou Lourindo Verde.

Há possibilidades de a RENAMO entrar em crise política caso Ossufo não tome medidas cautelares, entende o analista.

Ouvir o áudio 02:08

Moçambique: Ossufo Momade chama Mariano Nhongo para se unir a RENAMO

"Se não tomar essas providências é possível que se caia em tensão política, um problema que envolve ele pode se tornar num problema que envolve o partido", sublinhou Verde.

Combate à corrupção, prioridade da RENAMO

O líder da RENAMO diz que veio à província da Zambézia, no quadro da campanha eleitoral que se iniciou no sábado passado. No seu manifesto diz que acabar com a corrupção está no topo das suas prioridades, caso seja eleito para o cargo de Presidente da República.

A campanha eleitoral com vista às eleições gerais de 15 outubro prossegue no seu quarto dia. Para além do candidato da RENAMO, Ossufo Momade, está também na Zambézia o candidato às presidenciais do MDM, segundo maior partido da oposição, Daviz Simango.

A FRELIMO, partido no poder, dividiu-se, esta terça feira, em vários grupos nos bairros de Quelimane para a campanha porta a porta.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados