Moçambique: Diálogo no centro da visita de Filipe Nyusi a Cabo Delgado | Moçambique | DW | 29.06.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Diálogo no centro da visita de Filipe Nyusi a Cabo Delgado

Nesta sexta-feira, o Presidente de Moçambique inicia uma visita à província de Cabo Delgado, palco de ataques. Analista diz que a importância da visita resume-se no diálogo que Nyusi vai manter com as populações.

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique

O programa da visita a que a DW África teve acesso indica que, nesta deslocação à província nortenha de Cabo Delgado, o Presidente Filipe Nyusi vai escalar Palma e Mocímboa da Praia, dois distritos que, juntamente com Macomia e Nangade, têm sido alvo de ataques.

Os ataques têm sido levados a cabo por grupos armados, alegadamente de inspiração islâmica, com o recurso a catanas, e saldaram-se já em dezenas de mortos, vários deles decapitados, um número indeterminado de deslocados e mais de uma centena de casas destruídas.

Estes ataques irromperam numa altura em que estão a avançar as obras para a exploração de gás natural em Cabo Delgado com o envolvimento de algumas das grandes petrolíferas mundiais. Prevê-se que a produção de gás arranque em 2023.

Mosambik, Macomia: Mucojo village had houses destroyed by armed groups

Mucojo, aldeia em Macomia, incendiada pelos atacantes

Diálogo no centro da visita

"Penso que a importância desta deslocação é mesmo no sentido do diálogo. [O Presidente Filipe Nyusi] vai dialogar profundamente com as populações e elas vão ter também a oportunidade de explicar como é que as coisas têm acontecido", avalia o analista Alexandre Chiure.

A deslocação do Presidente aos distritos de Palma e Mocímboa da Praia acontece em cumprimento de uma promessa que Filipe Nyusi tinha feito durante uma recente visita a Cabo Delgado. Na altura, não conseguiu dialogar com as populações destes distritos devido ao mau tempo. Realiza-se, igualmente, dois dias depois do Conselho Nacional de Defesa e Segurança ter recomendado uma ação enérgica das Forças de Defesa e Segurança para elevar o nível de proteção das populações e dos seus bens.

O órgão de consulta do Chefe de Estado e Comandante em Chefe das Forças de Defesa e Segurança considerou ainda ser urgente que a situação volte à normalidade.

Mosambik Julio Parruque - Gouverneur der Provinz Cabo Delgado

Júlio Parruque, governador de Cabo Delgado, em conversa com familiares das vítimas dos ataques

Apelo de reforço a vigilância

Alexandre Chiure espera que esta deslocação seja uma oportunidade para "o Presidente entender melhor o que está a acontecer, dialogar com as populações e encorajá-las, fazendo-lhes ver que o Governo está a tomar medidas e a levar o assunto a peito e que está preocupado em controlar a situação."

Ele espera que, durante a visita, Nyusi lance "um apelo muito forte para o reforço da vigilância a nível dos bairros e das aldeias, para ajudar as Forças de Defesa e Segurança a encontrar estes malfeitores que têm estado a atacar as populações indefesas."

Chiure observa a propósito que "a guerrilha é muito difícil de vencer. E, porque as Forças de Defesa e Segurança não podem estar em todo o lado, uma colaboração com a população seria útil, porque esses atacantes vivem dentro das comunidades, algumas delas são conhecidas, então é preciso denunciar essas pessoas para ajudar a controlar a situação."

Leia mais