Governo moçambicano lança portal para ″combater notícias falsas″ | Moçambique | DW | 30.04.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Governo moçambicano lança portal para "combater notícias falsas"

O Gabinete de Informação (Gabinfo) criou um portal na Internet para verificar informação. O objetivo será "promover a verdade".

Mendes Mutenda, diretor de Informação e Comunicação do Gabinfo, instituição subordinada ao Governo moçambicano para a área da comunicação social, avançou que o site www.credivel.gov.mz tem como objetivo permitir que jornalistas e outras entidades possam proceder à verificação de informação disponibilizada por fontes oficiais e outras entidades.

"Apareceu há dias um comunicado falsamente atribuído à Presidência da República, nomeando um novo secretário de Estado provincial", exemplificou Mutenda em declarações à Lusa, referindo que "com o Credível será possível desmontar uma mentira destas".

O portal exibe um conjunto de documentos e mensagens, rotuladas com o carimbo "falso" ou "verdade" consoante o caso, tendo também a indicação da plataforma social de divulgação.

Num contexto em que "Moçambique é vítima de terrorismo" no norte do país, na província de Cabo Delgado, o verificador também vai carimbar informações relativas aos acontecimentos no "teatro de operações", acrescentou Mutenda.

O endereço na Internet inclui ainda uma secção onde são publicados os comunicados oficiais de origem governamental.

No texto de apresentação, o Credível apresenta-se como uma "plataforma de verificação da autenticidade de conteúdos veiculados pela imprensa ou nas redes sociais que suscite, por parte de quem recebe, zonas de penumbra ou incerteza".

"As notícias falsas são uma ameaça para uma sociedade que se quer bem informada e que contribua para o desenvolvimento do país", conclui.

Explica-me o fenómeno das Fake News

Leia mais