Futebolista germano-angolano vítima de racismo | Angola | DW | 28.08.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Futebolista germano-angolano vítima de racismo

O nome de Danny da Costa foi manchete de jornais alemães na semana passada. Não pelos melhores motivos. O defesa do clube de segunda divisão, Ingolstadt, de nacionalidade angolana e alemã, foi alvo de insultos racistas.

default

Danny da Costa

Danny da Costa, que também joga na seleção alemã de sub-21, disse à DW África ter ficado chocado com os comentários de teor racista. Há pouco mais de uma semana, o defesa do Ingolstadt estava a jogar em casa do 1860 München. A certa altura, o jogador de 20 anos começou a ouvir insultos de alguns adeptos do clube rival, conta: "No início da segunda parte, algumas pessoas [nas bancadas] começaram a fazer comentários racistas, sempre que eu estava na proximidade."

Danny da Costa foi ter com o árbitro. O jogo foi interrompido. O árbitro fez depois um aviso aos adeptos através dos altifalantes do estádio. A notícia sobre os comentários racistas espalhou-se pelos jornais alemães, como fogo em palha seca. E chegou também aos meios de comunicação internacionais. O jogador, de pai angolano e mãe congolesa, diz que nunca tinha vivido algo semelhante na Alemanha: "A meu ver tratou-se apenas de um grupo de idiotas chapados, que utilizaram o futebol como palco para dar voz às suas ideias."

Polícia investiga o incidente

Fußballer Danny da Costa (FC Ingolstadt 04)

O jovem germano-angolano Danny da Costa joga no FC Ingolstadt 04

A polícia alemã está a averiguar o caso, diz Danny da Costa. A Federação Alemã de Futebol, a DFB, também abriu um inquérito e afirmou que, no futebol, não há lugar para racismo e outras formas de discriminação. O clube 1860 München pediu desculpa pelo sucedido. O Ingolstadt, onde joga Danny da Costa, lançou uma campanha contra o racismo. No último jogo do clube alemão, na sexta-feira passada, a equipa vestiu as t-shirts da campanha durante o aquecimento.

Danny da Costa diz que tem recebido muitas mensagens de apoio. Tantas que já não tem mãos a medir para responder a todas, diz o defesa do Ingolstadt: "Houve adeptos do 1860 München que também me escreveram e que me disseram que lamentavam o que aconteceu. Disseram que foi apenas uma mão cheia de pessoas, que não representava o conjunto dos adeptos do clube. Muitos adeptos do Ingolstadt também me disseram para 'levantar a cabeça' e não pensar muito sobre o assunto."

Chocado, Danny quer esquecer

Danny da Costa

Danny da Costa esquece o passado e olha em frente

É mesmo essa a intenção do jovem jogador. Danny da Costa quer esquecer todo este episódio: "Tento evitar pensar sobre isso. Já pus esse assunto de parte." Danny, que foi emprestado pelo clube da primeira divisão, o Bayer Leverkusen, à equipa da segunda divisão, o Ingolstadt, quer agora focar-se nas próximas partidas e nos objetivos a médio prazo: "Primeiro, quero ajudar a concretizar os objetivos do clube e arrecadar tantos pontos quanto possível. Depois, espero evoluir de tal forma que na próxima época, quando regressar ao Leverkusen, me possa integrar no núcleo duro da equipa."

Danny da Costa, que tem nacionalidade angolana e alemã, e que faz parte da equipa de sub-21 da Alemanha, exclui a hipótese de se alistar nas fileiras dos Palancas Negras, a seleção nacional angolana: "Nasci aqui na Alemanha e, se possível, gostaria de jogar na seleção alemã de futebol."

Ouvir o áudio 03:29
Ao vivo agora
03:29 min

Futebolista germano-angolano vítima de racismo

Áudios e vídeos relacionados