França assegura presença militar ″significativa″ no Sahel | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 11.06.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

França assegura presença militar "significativa" no Sahel

Um dia depois do Presidente Emmanuel Macron ter anunciado o fim da operação Barkhane no Sahel, a França promete continuar a apoiar militarmente a luta contra o terrorismo na região.

A ministra da Defesa francesa disse esta sexta-feira (11.06) que "o compromisso militar da França continuará a ser muito significativo para lutar contra o terrorismo". Numa entrevista à emissora France Info, Florence Parly reforçou que será necessário continuar a trabalhar para que "as forças armadas do Sahel estejam progressivamente em condições de responder" a essa ameaça.

O Presidente Macron anunciou na quinta-feira uma redução da presença militar francesa no Sahel, indicando que a operação Barkhane, existente desde 2014 e que conta atualmente com 5.100 militares, será substituída por uma operação de apoio aos exércitos da região que queiram cooperar.

O Presidente francês considerou que o objetivo da França não é substituir "eternamente" as forças dos países em causa.

Assim, Paris vai encerrar bases e configurar a luta anti-'jihadista' à volta de uma "aliança internacional" integrando europeus e que contará também com o apoio dos norte-americanos.

Num comunicado, Parly precisou que o dispositivo militar francês será orientado para a assistência e cooperação operacional, o que será discutido nos próximos dias com os membros da Coligação Internacional para o Sahel, lançada em 2020 com o objetivo de apoiar o G5 Sahel (Burkina Faso, Chade, Mali, Mauritânia e Níger).

No "final do mês de junho", Macron deverá precisar as modalidades e o calendário da nova missão, adiantou a ministra das Forças Armadas francesa.

Assistir ao vídeo 01:05

Resistir à seca e às mudanças climáticas no Níger

Leia mais